Namoro no passado e no presente

Namoro Frases de namorados Passado, presente e eternamente. Te amo no passado, te amo no presente e se Deus permitir, te amarei eternamente! Copiar texto Copiado Compartilhar Próxima. Insegurança. Agora entendo que quando se ama, não se pode ter medo de tentar. Pois a dúvida nos faz perder coisas que , se não fosse a insegurança... E fico ainda assim esperando né, vai que dessa vez ele está fazendo uma surpresa, aí me lasco quando o tempo passa e eu não ganhei nada. Ele também nao deixa eu comentar e nem postar foto nossa no face, mas ele diz que ele nunca gostou, que tem muita gente que tem olho gordo, e vai meter inveja no nosso namoro. do penúltimo e daqueles que ainda vou ter, se Deus quiser... Sinto saudades do presente, que não aproveitei de todo, lembrando do passado e apostando no futuro... Sinto saudades do futuro, que se idealizado, provavelmente não será do jeito que eu penso que vai ser... Sinto saudades de quem me deixou e de quem eu deixei! De quem disse que viria Todos nós já tivemos que quebrar a cabeça pensando no que dar de presente para alguém querido no aniversário ou no Natal. O engraçado é que outras pessoas enfrentam as mesmas dificuldades e quase sempre ganhamos alguma coisa que não tem nada a ver conosco. Nesses casos, o melhor é dar risada. 29/abr/2018 - Explore a pasta 'Presente 8 meses de namoro' de Tatiane Rocha no Pinterest. Veja mais ideias sobre Presentes criativos, Presente namorado, Presentes criativos para namorado. A única forma de caminhar de corpo e alma no futuro é fazendo as pazes com o nosso passado. Não queira voltar para ele nem permita que atormente o presente. Aceite o que se foi, lembre-se do que lhe ensinou a ser a pessoa que é hoje, esqueça os danos e as ofensas. Verbo Namorar. Conjugação de namorar em todos os tempos verbais; presente, passado e futuro. Indicativo: namoro, namoras, namora, namoramos, namorais, namoram Transar no primeiro encontro, por exemplo, já deixa uma pulga atrás da orelha para um possível namoro; ter se envolvido sexualmente com vários homens no passado é ”motivo” para ser chamada de puta e comparada a outras mulheres com um passado diferente – seja por estas serem virgens, seja por estas terem tido apenas 1 ou 2 parceiros ... Namoro e noivado — Passado e Presente. Casamento, Relacionamento. Casamento — é um dos eventos mais brilhantes na vida de cada pessoa. Mas não só os vestidos de noiva, buquês, presentes, festa acompanhar o evento. Tradições e rituais enfatizar a importância desta ação. Claro, muitos deles foram perdidos, ou estão a perder ... Começo por me sentir feliz por estar vivo e iniciar mais uma semana diferente, de aniversários nascimento, namoro e profissional (58-20 e 24) muitas vivências com todos os condimentos inerentes à construção de projetos, realizações, sonhos e parcerias tornando-me útil perante uma sociedade fria e egoísta direcionada para 30% da população onde está concentrado o capital, e muita da ...

Se querem uma dica, procurem saber o que buscam em relacionamentos antes de sofrerem por não estarem em um (ou de efetivamente entrarem em um)

2020.08.24 15:02 LeastFudge9 Se querem uma dica, procurem saber o que buscam em relacionamentos antes de sofrerem por não estarem em um (ou de efetivamente entrarem em um)

Vejo muitos posts de "nunca namorei" por aqui, entendo cada um de vocês e digo que me vejo um pouco nesses posts também. Talvez meu post ajude. Isso aqui vai ser longo.
Sou homem, hétero e tenho quase 25 anos. Até os 22, nunca tinha namorado, nem transado, e entre essa idade e meu primeiro beijo (aos 11 anos de idade), eu havia beijado quatro garotas, uma delas talvez eu não devesse contar, pois foi uma amiga de minha mãe bem mais velha que praticamente me forçou a fazer isso quando eu tinha 14 anos. Mas ok, contemos quatro garotas dos 11 aos 22 anos. Isso me deixava triste nos mesmos moldes que vejo aqui em muitos posts.
No dia do meu aniversário de 22 anos, uma conhecida 16 anos mais velha avançou nas investidas por WhatsApp e me enviou nudes. A partir de então, foi tudo muito rápido, tive minha primeira vez com ela e foi fantástico. Ela estava em um processo de divórcio iniciado havia menos de um mês e tinha um filho de oito anos. Daí começa meu inferno.
Ela era uma mulher muito inteligente, bonita e, para me convencer a iniciar um namoro, praticou o famoso "love bomb", eu me sentia o cara mais foda do mundo, ela inflava minha autoestima de uma forma que ninguém jamais havia feito. Iniciamos um relacionamento sério e entrei no fogo cruzado de uma guerra que envolvia minha então namorada, o filho único dela de oito anos de idade e um ex marido extremamente agressivo e descontrolado.
Cheguei a receber ameaça por WhatsApp do tal ex, o filho dela levava recadinhos velados do pai pra mim, me ligava quando estava com os coleguinhas e me xingava das piores coisas e dos piores nomes possíveis (palavras que uma criança da idade dele não devia saber). Tudo isso enquanto frequentemente o garoto chegava da casa do pai quebrando a casa e gritando, eu acho que isso de esperar o inferno toda vez que ele ia pra casa do pai provavelmente foi o que me fez desenvolver um grau de ansiedade. E como já deve ter sido possível perceber, rapidamente eu ficava mais na casa da minha então namorada que na minha própria casa, por livre espontânea pressão.
Como se não bastasse, minha então namorada era extremamente controladora. Com o tempo, eu não podia mais conversar com outras mulheres, ela gritava comigo e quebrava a casa quando estava - nas palavras dela - "surtada". Pra ajudar a ilustrar, lembro-me que uma vez bocejei enquanto estávamos em um restaurante (EU organizei a ida, foi meu presente de dia dos namorados) e ela começou a brigar, perguntando se eu não queria estar ali (e então passei a ter receio de bocejar perto dela - e eu bocejava bastante, porque trabalhava e fazia faculdade).
Houve também uma situação em que recebi uma proposta profissional que significaria passar quatro meses em outro país. Ela surtou, passei uma noite em claro com ela gritando, quebrando a casa, tentando me expulsar de lá (como eu iria embora com a mulher naquela situação?). Enfim, foi um inferno, nem gosto de lembrar. Acabou que eu neguei a proposta profissional, ao mesmo tempo em que ela saiu falando para meus amigos (que viraram amigos dela também) sobre como ela, apesar de triste com a distância, achava uma oportunidade e um projeto muito importantes. E também encontrou meios de me manipular ao ponto de eu ficar na dúvida sobre por que eu tinha negado a proposta. Recentemente, depois de mais de um ano de terminados, ela disse pra uma prima minha sobre essa história e confessou que "fez de tudo que foi possível" para que eu não fosse. Me senti um idiota.
O cúmulo, na verdade, foi quando minha família alugou um sítio para comemorar o aniversário da minha irmã mais nova, a festa consistia em as pessoas mais chegadas ficarem um fim de semana inteiro neste sítio. Nessa época, minha ex já tinha desenvolvido uma posse sobre mim que incluía ter uma espécie de ciúme do tempo que eu dedicava à minha família (que já era quase zero). Justamente por isso, percebi que minha ex estava resistente a ir para este sítio, optei por fingir que não tinha percebido. No dia de ir pro sítio, como eu já suspeitava, ela estava em surto e passou a manhã inteira deitada. O filho dela estava ansioso pra ir, pois tinha piscina e outras crianças, então resolvi que iríamos eu e ele, disse isso pra minha ex e falei pra ela me ligar assim que quisesse ir, que eu a buscaria. O sítio ficava a uma hora de carro.
Vou resumir o que aconteceu, embora para passar o meu terror eu devesse contar detalhadamente. Basicamente, para fazer-me sentir-me culpado por ter ido sem ela, ela resolveu colocar fogo em umas toalhas (muitas!) no chão do banheiro, a ideia - isso tudo eu só concluí passados meses - era criar uma cena de horroincêndio pra quando eu chegasse. O que ela não calculou é que o álcool evapora rápido, então ela queimou o rosto, parte do cabelo, o pescoço, parte dos seios e da barriga. Ela me ligou em pânico e eu corri de carro tarde da noite em uma estrada deserta. Daí em diante nossos dias foram de hospitais (eu fiquei nos hospitais o tempo todo) e cirurgias plásticas. Ela não ficou com nenhuma sequela física. Depois que a ajudei com as queimaduras (em casa, eu fazia os curativos) e cicatrizes temporárias, terminamos (e no dia seguinte ao término ela bateu o carro e, pela forma como foi, parece ter sido proposital). Mas, enfim, consegui sair desse relacionamento abusivo depois de quase dois anos. Esse textão que escrevi é só uma porcentagem do que passei.
Menos de um mês após esse término, retomei contato com uma amiga (e paixonite platônica) de adolescência, acabou que ficamos e veio outro "love bomb". Caí nessa de novo pra depois de dois meses ela me tratar feito lixo, me dar respostas mal educadas, me ignorar e perder a paciência por coisas banais. Essa noite tive um pesadelo com o desdém dessa última ex (faz nove meses que terminamos) e acordei mal, por isso vim aqui desabafar. Felizmente, esse outro relacionamento não durou mais que quatro meses.
Hoje, olhando pra trás, percebo que caí nessas porque tenho uma carência advinda de um abandono afetivo na infância/adolescência, fruto de situações com meus pais. Ou seja, eu estive buscando suprir com relacionamentos uma carência paternal/maternal, então virei alvo fácil para pessoas complicadas ("love bomb" e visões idealizadas e fantasiosas de relacionamentos me fisgaram fácil). Eu estou bem atualmente e bastante feliz com vários projetos pessoais e profissionais, talvez esteja na melhor fase da minha vida nestes termos. No entanto, estou quebrado para relacionamentos e sei que precisarei de terapia para superar a resistência que adquiri com os traumas que relatei. A conclusão é: procure conhecer a si próprio e reflita bastante sobre porque não estar em relacionamentos lhe afeta, pois você pode estar tentando tapar um buraco que na verdade lhe fará ser presa fácil. Esteja em um relacionamento por ter descoberto alguém que te leve para frente, não somente por estar. Inclusive, não faz sentido estar em um relacionamento apenas porque você quer estar em um relacionamento. Não sei se estou sendo claro.
É isso, obrigado.
submitted by LeastFudge9 to desabafos [link] [comments]


2020.08.06 06:08 denesfernando Sou Babaca Por Querer Que O Namorado Da Minha Amiga Não Passe Mais A Quarentena Aqui E Volte Pra Casa Dele?

Olá Luba, editores, gatas e Turma. Essa história que vou compartilhar aqui é recente, ainda estou tratando em terapia, mas ela começa um pouquinho lá atrás.
Um ""pouco"" de background para situar a todos de onde tudo isso começou.
Em 2013 comecei namorar um cara que vou chamar de Karen, por ele ser muito, mas muito CUSÃO (inclusive, ele se parece muito com você Luba e por vocês serem tão idênticos, eu passei um bom tempo sem assistir o canal, pois não conseguia te ver sem lembrar dele). Mas, enfim, em 2015 ele e o grupo da faculdade dele decidiram morar todos juntos em uma casa perto da faculdade, pois estava exaustivo para todos trabalharem em pontos distintos da cidade (São Paulo, para se alguém quiser se situar).
Então, em janeiro de 2016, eles se mudaram e eu ia para lá aos fins de semana, até que acabei me mudando para a casa em Junho do mesmo ano, no dia do meu aniversário.
Pois bem, foi uma fase horrível da minha vida por causa do meu ex, terminamos em maio de 2017 e tive que sair da casa. Esse meu ex era um abusador, um aproveitador, a pior pessoa que eu poderia ter conhecido na minha vida. Os abusos psicológicos que ele cometeu comigo, afetaram totalmente minha confiança e em como eu viria a me relacionar com outros caras, fora as crises de ansiedade que eu arrasto até hoje.
Mas então, eu fiquei amigo dos amigos dele da faculdade e em especial da Karls que virou minha melhor amiga.
Em 2017 eles terminaram a faculdade e em 2018 o contrato da casa venceu e eles finalmente poderiam se mudar, áquela altura ninguém suportava mais olhar pra cara do Karen.
Então, foi nesse momento, que a Karls e o Akarls me chamaram para vir morar com eles numa nova casa. Sem o Karen. E hoje nós três vivemos como uma família feliz com os nossos pets.
2019
Eu conheci um cara, eu vou chamar ele de Lars.
Lars e eu começamos a trocar mensagens, se conhecer, nos aproximarmos. Até então, antes dele, todos os outros caras que eu acabei ficando, não davam certo, (tem muito gay problemático nessa cidade). Mas Lars foi diferente, conforme nos conhecíamos, ele ia transpondo todas as muralhas que eu usava como defesa, pois meu maior medo seria voltar para um relacionamento abusivo, tóxico e doentio.
Com o Lars eu fui bem devagar, realmente queria conhecer ele, pra ver se o que eu estava sentindo era o certo e se ele não iria me fazer mal.
Nesse tempo conhecendo ele, eu desabafava com Karls todas as minhas inseguranças, pois ela tinha vivido todo o meu drama com o meu ex, ela sabia dos meus medos, receios, inseguranças em me relacionar com alguém e ela me dava todo o apoio, pra poder voltar a acreditar e saber que nem todo mundo é igual o Karen, que na verdade eu dei azar com o Karen, mas que não seria assim de novo.
Depois de tantos embates sobre minhas agruras eu acabei me desarmando e me permiti começar algo com o Lars.
Um mês e meio depois, finalmente decidi trazer ele em casa, para conhecer meus amigos e 😏.
Então, foi nesse fim de semana de novembro de 2019 que coisas aconteceram.
Depois de ficarmos, acabei aceitando os meus sentimentos por ele, pensei que depois de tanto tempo solteiro, passando por aventuras fracassadas com pessoas que não se encaixavam, onde a química só proporcionava uma reação inicial. Ali estava talvez o momento de poder compartilhar momentos com alguém.
Mas aquele início de sonho desmoronou muito rápido. No domingo quando ele estava pra sair para trabalhar, Lars me contou que iria para o Beto Carrero com um amigo. Fui pego de surpresa, pois ele não havia mencionado nada nas nossas conversas durante a semana.
Na época, Lars trabalhava como bartender numa cafeteria e reclamava de trabalhar muito, não ter finais de semana livres e só folgar nas segundas-feiras.
Como não tínhamos oficializado nada, nossa primeira vez foi na noite anterior e o fato de estar disposto a querer começar a construir uma relação tinha sido algo que eu havia arrazoado no meu coração, achei absurdo demais eu questionar porque ele não tinha me falado nada antes.
Tudo bem, ele iria no Beto Carrero com um amigo, logo após sair da cafeteria. Pegaria o ônibus na estação do Tietê no domingo a noite, passaria o dia no parque, já que a folga seria na segunda, e na segunda a noite ele voltaria e iria trabalhar na terça-feira de manhã. Eu, pelo menos, imaginei que seria assim.
Na segunda-feira, eu fui trabalhar normal, vi as fotos dele no Beto Carrero, os stories no Instagram aparentemente nada de estranho, mas a primeira coisa que me chamou a atenção foi o fato dele não ter postado um único story com o amigo, mas até aí, se eu encucasse com isso, seria uma atitude tóxica e eu não queria isso. Numa relação deve existir confiança.
Nós não nos falamos o dia inteiro, pois eu não iria ficar o importunando num passeio como aquele, que ele aproveitasse o máximo possível. Foi quando às 18:00 eu resolvi mandar uma mensagem para ele, já que eu estava saindo do trabalho.
A mensagem era mandando um "oi" e desejando que ele tivesse se divertido bastante e fizesse uma viagem tranquila de volta.
Foi quando ele me respondeu que não voltaria aquela noite, que ele iria para Balneário Camboriú com o amigo passear de barco. Eu fiquei completamente sem reação, foi um choque. Ele só reclamava de como o trabalho explorava ele, não era flexível e do nada, de uma viagem totalmente espontânea que aconteceu aleatoriamente pra aproveitar um dia de folga num bate e volta, surgiu uma folga no dia seguinte.
Eu não tive como não ser arrastado de volta para os tempos do Karen, onde eu fui trouxa por anos, onde ele matava aula pra transar na escada da faculdade, dizia que ficava até mais tarde no serviço pra não pegar trânsito, mas na verdade ia para dates furtivos de apps de pegação (inclusive tenho uma história ótima com relação a isso da época do Karen), enfim, meu cérebro e meu coração ligaram o sinal vermelho, as sirenes começaram a zunir no meu ouvido, a última coisa que eu queria era ser enganado como fui na minha última relação.
Voltando, Lars não falou mais nada depois disso, fui pra casa naquele dia. Na terça-feira de manhã, outro sinal de alerta, não tinha nenhuma mensagem no celular. Isso poderia ser irrelevante, se a gente não tivesse passado o último mês e meio, trocando várias mensagens e memes da hora que acordava até a hora de dormir. Me senti mal, a conversa tinha morrido da noite para o dia, fiquei angustiado, pois eu estava começando a gostar dele e aquilo mudou da noite para o dia.
Terça-feira se foi, ele em Balneário Camboriú, fotos e stories no Instagram se seguiram e nada desse amigo misterioso.
Finalmente, a noite ele estava voltando e mandou uma mensagem dizendo que estava exausto, mas estava voltando. Nesse momento, minha mente já tinha formulado mil e uma histórias, mas resolvi ser prudente, apesar da angustia que estava sentindo.
Foi difícil dormir aquela noite, na manhã seguinte, ele mandou uma mensagem dizendo que havia chegado, estava exausto, mas estava indo trabalhar.
Nossa conversa, já não era a mesma, algo tinha mudado, as palavras ou a ausência delas são um termômetro para o coração, escrever para outra pessoa é um ato de conexão e o nosso elo havia se rompido.
Foi quando resolvi confrontá-lo.
Segue abaixo a conversa no whatsapp:
[28/11 11:56] Denes: Desculpa, Lars.
[28/11 11:56] Denes: Eu não sei de fato o que aconteceu
[28/11 11:56] Lars: Pelo o que ?
[28/11 11:56] Denes: mas desde terça que eu sinto que nossa conversa morreu
[28/11 11:56] Lars: :(
[28/11 11:56] Lars: Eu que peço desculpas
[28/11 11:57] Denes: se vc puder me dar uma luz
[28/11 11:57] Lars: Questão de conversa tbm não sei ... :(
[28/11 11:58] Lars: Não quero ser cuzao contigo
[28/11 11:58] Denes: me diz o que tá acontecendo
[28/11 11:59] Lars: Gosto olhando no olho
[28/11 11:59] Lars: Gosto de vc
[28/11 11:59] Denes: talvez não haja olho no olho se eu não entender o que está acontecendo
[28/11 12:00] Denes: eu tb descobri que estou gostando de vc
[28/11 12:00] Denes: descobri de uma maneira bem ruim
[28/11 12:00] Denes: só quero que vc me diga
[28/11 12:00] Denes: sem medo
[28/11 12:02] Lars: Eu recebi uma ligação de alguém antes de viajar que me deixou balanceado
[28/11 12:02] Denes: prossiga
[28/11 12:02] Lars: Não gosto da ideia por aqui
[28/11 12:03] Lars: Mas tá bom ...
[28/11 12:03] Denes: por favor, agora que começou, não pare
[28/11 12:03] Lars: Pouco antes de conhecer vc eu tinha acabado um relacionamento ...
[28/11 12:03] Denes: hum
[28/11 12:04] Lars: E tipo ainda algo que me deixa balançado e tal ...
[28/11 12:05] Denes: entendi
[28/11 12:05] Denes: ah...
[28/11 12:05] Lars: E tipo não quero mentir pra vc
[28/11 12:05] Lars: Nem ser um cuzao contigo me entende
[28/11 12:05] Lars: Quero ser sincero sempre
[28/11 12:05] Lars: Não só com vc mas comigo mesmo
[28/11 12:06] Denes: então, o livro de Harry Potter que está com vc, foi um presente de um amigo meu que faleceu esse ano, será que posso pegar com vc na catraca amanhã da Santos Imigrantes
[28/11 12:06] Lars: Sim ... Claro ... Mas queria conversar mais com vc pessoalmente
[28/11 12:06] Lars: Se não se importar
[28/11 12:07] Lars: Tenho um presente pra vc
[28/11 12:07] Denes: eu vou me importar
[28/11 12:07] Denes: por favor, sem presentes
[28/11 12:07] Lars: Tudo bem :(
[28/11 12:09] Denes: amanhã as 8:30 te encontro na Catraca
[28/11 12:09] Lars: :( eu lhe entendo sabe ... Mas confesso que gosto de vc e queria que vc permanecesse na minha vida independente de qualquer coisa
[28/11 12:09] Denes: não será possível
[28/11 12:09] Lars: Tudo bem eu entendo vc ... :(
[28/11 12:09] Lars: Me desculpa
[28/11 12:10] Denes: te encontro amanhã na catraca sem falta
[28/11 12:21] Lars: Hj vc sai que horas do trabalho?
[28/11 12:24] Denes: Desculpa, Lars. Mas eu só pretendo te encontrar para pegar o meu livro. Não, temos nada para conversar. Você não me deve satisfações, justificativas ou esclarecimentos. Apenas o meu respeito. Mas, mesmo assim. Esse ponto final precisa ser colocado.
[28/11 12:25] Lars: Tudo bem eu entendo e respeito vc ... Falei de hj pq posso te entregar hj o livro
[28/11 12:25] Lars: Ele está comigo aqui no trabalho
[28/11 12:26] Denes: Eu saio às 18:00
[28/11 12:26] Lars: Posso te entregar hj o mesmo horário ... Na estação melhor pra vc
[28/11 12:27] Denes: Que horas na Santos Imigrantes vc vai passar por lá?
[28/11 12:27] Lars: Umas 19h a 19:30
[28/11 12:28] Lars: Mas espero a sua hora
[28/11 12:28] Denes: Okay, as 19:00 estarei lá
[28/11 12:28] Denes: Se chegar antes estarei sentado em algum dos bancos da plataforma
[28/11 12:29] Lars: Tá bom
[28/11 12:29] Lars: Sei o que vc vai falar ... Mas desculpas :(
Quando ele falou dessa ligação do ex e ficou balançado, eu senti uma enxurrada de sentimentos negativos, o tsunami de chorume que eram as mentiras do Karen voltando a tona. Todas as desculpas esfarrapadas, parecia que eu estava vivendo tudo outra vez.
Eu estava cego, na gana de não querer cometer os mesmos erros do passado, acabei sendo seco, duro e intolerante, condenando um pelos erros de outro.
Eu já tinha sentenciado dentro de mim que aquela viagem foi algo que ele tinha programado com o ex e que tinha ido com ele e que eles tinham se acertado e que ele queria me manter como step se nada desse certo. Enfim…
Nesse mesmo dia, fui buscar o meu livro (um fato curioso, esse livro que foi presente de um amigo que veio a falecer em 2019, foi um presente pra me lembrar o quanto eu sou uma pessoa corajosa, era a edição de 20 anos da Pedra Filosofal nas cores da Grifinória e dentro ele escreveu a famosa frase da Luna "As coisas que perdemos sempre acabam voltando para nós. Mas nem sempre na forma em que pensamos." https://imgur.com/a/ebJFd2U
Ironicamente, quando paro pra olhar isso em particular, penso na grande ironia de tudo.
Eu cheguei antes na estação, fiquei esperando, sentado num banco na plataforma, vendo vários trens passando, várias pessoas descendo na estação vindo depois de mais um dia de trabalho. A minha ansiedade estava a mil, eu queria chorar, estava angustiado com tudo aquilo, pior, sem entender como "tinha cometido" o mesmo erro outra vez.
Ele chegou uns 15 minutos depois, estava com o livro na mão, eu peguei o livro e então ele me estendeu os braços pedindo um abraço, fiz com ele o que eu devia ter feito com o Karen, olhei para ele com a minha pior cara de desgosto e nojo e falei "Adeus", virei as costas e deixei ele lá.
Hoje, não me orgulho do que eu fiz, sinto vergonha quando penso, mas para que vocês entendam aquele gesto, mesmo ele não sabendo, era algo traumatizante, no término com o Karen, quando coloquei minhas malas e meus livros no táxi, ele chegou até mim e na maior cara de pau, na sua maior interpretação pra burguês ver, ele me pediu um abraço e o trouxa aqui cedeu esse abraço, então ele sussurrou no meu ouvido "Sou eternamente grato por tudo o que a gente viveu e você vai sempre poder contar comigo para o que você precisar" e quando eu precisei o que eu ouvi? "Não tenho obrigação nenhuma de te ajudar."
Quando eu saí da estação, bloqueei o Lars em todas as redes sociais, Facebook, Instagram, Whatsapp e até o número dele pra ele não me mandar SMS ou ligar. Não queria nunca mais ouvir falar dele pelo resto da minha vida.
Alguns dias se passaram e a Karls me contou que Lars havia mandado mensagem para ela no Instagram dizendo que estava preocupado comigo, queria falar comigo e eu irredutível falei que nunca mais queria saber nada a respeito dele.
Então ali eu tinha colocado uma pedra em cima desse assunto, vida que segue.
Dezembro de 2019
Karls é uma garota muito linda, mas em todos esses anos de amizade ela só se envolvia com os piores caras do Tinder, uma fase da vida dela que fazemos piada, mas que se você olhar atentamente, era bem triste.
Ela tinha o sonho de conhecer um cara bacana, compartilhar momentos, viver toda aquela fantasia de namoro, dormir abraçada, assistir anime, cantar músicas da Disney e cozinhar todos os pratos possíveis de todos os programas de culinária que existem no mundo.
Depois de anos, esse cara apareceu. Vamos chamá-lo de Darls.
Darls é um cara super carismático, que faz amizade por onde ele passa, falador, contador de piada, solicito, uma pessoa que todo mundo iria adorar ter como amigo.
JANEIRO 2020
Parecia que Darls sempre esteve nas nossas vidas, Akarls e eu o recebemos de braços abertos, pois víamos o quanto ele fazia Karls feliz.
Logo ele começou me pedir dicas e mais dicas de coisas que fariam a Karls feliz e nesses 5 anos de amizade eu era a pessoa que mais sabia de tudo o que a Karls gostava.
FEVEREIRO 2020
Eles oficializaram o namoro, (meio rápido, mas…), então ela entrou numa tour para conhecer todas os amigos dele, pois ele queria apresentar a namorada para as pessoas importantes na vida dele.
Darls mora a 35km de distância, num bairro distante, 2 horas de viagem no mínimo, mas ele sempre estava vindo passar mais tempo aqui.
MARÇO 2020
Pandemia chegou, isolamento social foi instaurado, pessoas em casa. Eu sou editor de vídeo, então estou trabalhando em casa desde que esse inferno começou. E quem acabou vindo para cá, também? Exatamente, Darls.
A companhia dele era agradável, e por vermos Karls feliz, nada objetamos, aceitamos naturalmente a estadia dele aqui. Mesmo que nunca tenhamos conversado isso entre nós, foi natural olharmos para a felicidade dela.
ABRIL 2020
Um mês de quarentena, eu sou uma pessoa ansiosa. Solteiro que passou da barreira dos 30, já havia sentenciado que não conheceria ninguém e morreria só, pois já estava sem esperança de conhecer alguém em um mundo sem um vírus mortal, imagina em um mundo onde estar perto 2 metros de alguém pode ser sua sentença de morte.
Eu comecei entrar numa crise terrível, comecei trabalhar demais, a fazer 12 horas de trabalho por dia e no meu tempo vago eu comecei a assistir todos os filmes e curtas gays já foram produzidos no mundo. E nisso, fiz a burrada de assistir um filme que superestimei por anos.
Brokeback Mountain.
'O que eu fiz da minha vida?'
Eu fiquei tão mal, mas tão mal, que naquela noite eu fui dormir chorando e os dias que se seguiram eu tive tanto remorso pelo final daquele filme, que certo dia eu comecei chorar na frente da Karls e do Darls enquanto a gente almoçava.
No final de abril, meu tio implorou que eu fosse na casa dele, pois estava tendo um problema entre minha mãe e minha irmã e ele estava preocupado da minha mãe acabar se metendo em um avião e vindo pra São Paulo no meio de uma pandemia. Fui, como se eu já não estivesse colapsando, ainda tinha que resolver o problema de outras pessoas.
Naquela semana, eu assisti um vídeo, tenho 80% de certeza que foi no LubaTV os outros 20% acho que foi no canal do Henry Bugalho, que falava sobre perdão, algo do tipo "se não perdoamos, do que adianta pedirmos desculpas" e eu já estava muito reflexivo.
De noite, eu estava no apartamento do meu tio, quando recebi uma notificação de que alguém tinha me seguido no Twitter.
Abri a notificação e vi que era o Lars me seguindo quase 6 meses depois. Ele não tinha twitter e tinha criado uma conta por causa da quarentena.
Minha primeira reação foi bloquear ele, mas aí bateu aquele turbilhão de coisas acumuladas nessa quarentena. O final de Brokeback Mountain, a fala sobre perdão e um detalhe sobre o Lars que pesou muito, ele tem diabetes, acho que é um tipo raro, ele desenvolveu super novo, ele toma dois tipos de insulina, ele é grupo do risco.
Sentei no sofá e me perguntei, 'o que ele queria depois de todos esses meses? Ele não entendeu o meu "Adeus"?'
Pois, bem. Fui até o Instagram, desbloqueei ele e mandei a seguinte mensagem:
"O que você quer?"
Ele levou uma meia hora pra me responder, o 'digitando…' parecia eterno.
Resumindo, ele falou que se importava muito comigo, que eu marquei a vida dele, que nunca quis se distanciar de mim, que jamais foi a intenção me magoar com o que quer que tenha acontecido e que nunca dei a oportunidade dele se explicar.
E eu respondi, que não importava o que ele tivesse para me dizer, não ia mudar a opinião que eu tinha sobre ele.
Ledo engano, meus caros.
Fui dormir às 4 da manhã, tirei tudo de dentro de mim, tudo o que eu inventei na minha cabeça. Porque no meu relacionamento anterior eu ouvi tantas mentiras, que acabei jurando que qualquer um iria mentir para mim, era o único referencial que eu tinha.
Só para que vocês saibam, era realmente um amigo, as fotos que ele tirou junto com o amigo no Beto Carrero, foram todas no celular do amigo a folga da Terça-feira, o chefe dele estava devendo uma folga para ele e como ele não iria poder tirar essa folga a mais do que as que estavam previstas para Dezembro, o chefe deu a folga pra ele na terça para que ele aproveitasse mais um dia de viagem. E sim, o ex dele ligou, ele ficou balançado, pois eles tinham tido uma história recém terminada, mas ele me contou, primeiro porque eu insisti, mas também porque ele não queria mentir pra mim, já que eu tinha todo esse problema com mentiras, então ele queria ser honesto comigo desde o início e que nunca foi a intenção dele voltar com o ex, tanto que ele não voltou, ele queria estar comigo, e que mesmo tendo passado todo aquele tempo ele nunca tinha me esquecido e não tinha desistido de mim.
Eu falei para ele que não sabia como reagir a tudo aquilo, disse que não sabia se seria capaz de confiar nele. E que ele não tivesse esperança, mas que eu iria refletir sobre tudo aquilo.
Então eu voltei pra casa e compartilhei a história com Karls e Darls.
Karls ficou meio com o pé atrás, mas Darls me apontou os erros que eu cometi, me fez enxergar o quanto eu tinha exagerado pelo medo e desconfiança que eu tinha, que não tinha nada a ver com Lars e minha ficha caiu.
Agora, tudo o que me restava era o meu orgulho, eu precisava passar por cima disso.
Voltei a conversar com Lars, aos poucos, foi difícil no início, mas ele foi muito tolerante, eu expliquei que não estava sendo fácil voltar a conversar com ele, mas que compreendi que muito daquela situação era culpa minha.
Ele começou a me mandar mensagens de manhã e a noite, de bom dia e boa noite e esporadicamente algum meme. Foram duas semanas conversando quando houve a necessidade da gente se ver. Eu não sabia como iria reagir.
Sim, ele viria aqui em casa no meio de uma quarentena, mas antes que cresça os julgamentos, moramos próximo um do outro, ele viria a pé, sem pegar nenhuma condução e num horário de pouco fluxo.
MAIO 2020
Então comuniquei que ele viria aqui em casa para Karls, Akarls e Darls. Aparentemente, achei que todos tinham recebido a notícia de bom grado.
Ele veio, a primeira coisa que ele fez foi ir para o banheiro tomar banho, com Covid não se brinca. Depois, sentamos e conversamos, e mais uma vez, eu falei tudo de novo, dessa vez olhando no olho, colocando tudo a limpo, uma conversa franca, contei de todas as impressões que eu tive de tudo o que aconteceu, como a narrativa se construiu na minha cabeça e porque agi da maneira que agi.
Em contra partida, ele disse que estava tudo bem, disse que ficou muito chateado, mas os amigos dele conversaram com ele dizendo que tinha um motivo para eu agir como eu tinha agido. Ele me falou que nunca me esqueceu e queria ter uma oportunidade de conversar comigo e esclarecer as coisas, pois sabia que tudo tinha sido um grande mal entendido. Ele falou que mandou várias mensagens para a Karls, mas não obteve resposta. E quando ele me mandou o convite no Twitter, ele disse que seria a sua última tentativa de se aproximar de mim, se não desse certo, ele mesmo desistiria de tudo.
Ele passou três dias aqui em casa, eu não me abri tanto com ele com relação a isso, mas eu senti muito remorso por como as coisas aconteceram por minha causa.
Outra coisa, lembra na mensagem, quando ele falou que tinha um presente para me dar e eu falei que não queria? Ele trouxe o presente, ele guardou o presente todo esse tempo e disse que toda vez que via o presente, ele lembrava de tudo o que a gente viveu e a coisa que ele mais queria era me dar esse presente, que ironicamente ele comprou na viagem para o Beto Carrero.
Era um funko do Harry Potter, já que eu amo muito Harry Potter. (Não, não sou transfóbico, eu amo Harry Potter desde 2000). http://imgur.com/gallery/cah0Ry7
Ele voltou pra casa dele. Continuamos a nos falar, reatar laços, ter essa troca.
Compartilhei minhas impressões com Karls e Darls, eu estava relutante, desacreditado. As pessoas subestimam relacionamentos abusivos, mas a gente carrega coisas por anos, os estragos são terríveis, estava eu provavelmente estragando uma oportunidade de ser feliz por medo de ser feliz.
As coisas foram devagar, estávamos conversando de nossas rotinas na quarentena, ele o quanto sentia falta do trabalho e não aguentava mais assistir séries e eu o quanto estava trabalhando e engordando, já que editor de vídeo trabalha em casa, praticamos isolamento social antes disso "estar na moda" (✌️ salve editores do canal, eu juro que tô escrevendo essa história que já passa de 4 mil palavras, pensando se realmente o Luba lerá essa história na Turma-Feira, fico imaginando no trabalhão que vocês vão ter pra editar, se eu puder pedir, posta a Timeline pra eu ver como ficou no final, curto muito timelines [Sim, pra quem não entende, isso é meio creep]).
JUNHO 2020
Lars voltou, veio para estar comigo no meu aniversário, inclusive ele me presenteou com Find Me do André Aciman, ele disse que queria me dar a muito tempo, pois em novembro do ano passado eu estava lendo Call me by your name e eu estava namorando pra comprar o livro quando fosse lançado, mas não deu nem tempo dele poder comprar na época.
No meu aniversário, resolvi cozinhar para comemorar, fazer escondidinho de frango. Eu estava de folga e queria fazer algo especial para Karls, Darls, Akarls e Lars. Eu passei a tarde e começo da noite cozinhando e Lars me ajudando.
Então, aconteceu o estopim de todo o caos.
Karls e Darls desceram e viram que o escondidinho não estava pronta ainda, ela fechou a cara e disse "Nossa, ainda não está pronto?". Depois eles fizeram um sanduíche e comeram e subiram, bastou aquilo pra me entristecer, até entendo que ela poderia estar com fome, mas ela bater porta de armário e a porta da geladeira acabou todo o meu ânimo, me senti super mal.
Comi aquele escondidinho triste, o clima na mesa estava tenso e na boa o que era pra ser uma comemoração no que eu acreditava ser entre família, foi a porcaria de um jantar de aniversário que eu perdi tempo fazendo.
Lars voltou pra casa dele, continuamos nos falando e estreitando os laços, aproveitando a companhia um do outro, e finalmente no meio de toda essa situação de merda que estamos vivendo no planeta, senti uma esperança de que talvez tudo daria certo, pelo menos uma vez.
Mais uma vez, ele veio passar o fim de semana aqui em casa, e foi divertido, assistimos filme, contamos piadas e o melhor, eu estava podendo dormir abraçado com ele, por a cabeça no travesseiro e não me sentir só.
JULHO 2020
O mês do caos, eu odeio Julho, por tantos motivos, sério. Eu tenho inúmeras histórias de desgraças nesse mês que PQP (Gif da Xuxa).
Lars me mandou mensagem dizendo que ele teve uma briga terrível com o sobrinho dele, na briga eles só faltaram sair na porrada, ele falou que estava mal por estar na casa da irmã dele e por toda essa indisposição com o sobrinho que tem 18 anos e é um completo folgado. Ele disse que iria procurar um lugar pra ficar, mas até lá, ele perguntou se poderia ficar aqui até encontrar esse lugar.
E como eu já fui colocado pra fora de casa pelo meu tio e me vi sozinho, eu sei o quanto é importante ter alguém pra estender uma mão amiga nessa hora.
Eu respondi que sim, mas que ia comunicar o Karls e o Akarls. Expliquei a situação Lars e eles falaram que tudo bem.
A Karls começou a fazer um freela permanente em um grande estúdio aqui de SP, então ela já não estava ficando em casa e quando estava, ficava a maior parte do tempo com o Darls, que ficou aqui em casa, mesmo ela trabalhando regularmente, já que as coisas estão flexibilizadas por aqui.
A princípio, Lars ficaria aqui até dia 10, ele tinha acertado de ir morar com um pessoal que ele achou num grupo do Facebook, mas o lugar onde esse pessoal ia morar não deu certo, pelo o que ele me contou, foi lance com a Porto Seguro, ele ficou decepcionado, porque os meninos eram legais. Então, ele voltou para a busca de encontrar um lugar pra ficar, eu inocente disse que ele poderia ficar o tempo que precisasse.
Interiormente, eu queria me redimir por toda a injustiça que foi o nosso início, queria fazer certo dessa vez, pois ele estava sendo bom pra mim e eu nunca tinha tido isso, esse convívio.
Enquanto ele estava aqui, comecei a ter companhia para o almoço, passei a comer direito, já que ele é obrigado a comer certo por causa da diabetes, eu estava até me alimentando nos horários certos. As noites assistíamos séries abraçados, até a hora de dormir. Parecia um oasis no meio de todo esse inferno que estamos vivendo, por um único instante eu esqueci de tudo de ruim.
Nesse período, ele estava procurando vários quartos, mas só encontrava cativeiros sendo alugados por mercenários.
Conforme o mês ia passando, Karls estava bem estressada com tudo e quando estava todo mundo na cozinha, ela parecia evitar querer falar com ele. No início, eu pensei que fosse TPM ou alguma coisa em particular dela com Darls.
Mas eu tive certeza que era alguma coisa com o Lars, no dia que estávamos jantando e ela veio informar que o botijão de gás tinha acabado e ela tinha comprado um novo, mas ela insinuou que estávamos cozinhando demais. Eu fiquei, sem reação, pois não esperava por aquilo, como eu falei, ela e o Darls estavam fazendo todas as receitas que existiam na internet, como que o Lars 10 dia aqui era a causa do botijão ter acabado?
Então aquilo começou a ficar espinhoso e o meu erro foi não ter confrontado. Eu comecei a me sentir acuado com o Lars e não sabia o que fazer, ele já estava numa puta situação frágil por ter saído da casa da irmã por indisposição com o sobrinho e a coisa que eu mais queria era que ele se sentisse confortável na minha própria casa.
No meio de tudo isso, ele voltou a trabalhar e eu passei a acordar cedo junto com ele, pra tomar café e abrir o portão pra ele poder sair, num desses dias, eu levantei e fui no banheiro e enquanto eu usava, a Karls bateu na porta perguntando quem é que estava lá dentro de uma maneira meio ríspida, no caso era eu, mas o Lars viu a situação toda, ele não me falou, mas eu reparei que ele parou de tomar banho de manhã antes do trabalho. Dizia ele que o banho da noite era suficiente.
Depois, ele parou de tomar café da manhã, disse que tomaria café na cafeteria que ele trabalha.
A próxima coisa que aconteceu foi um dia que eu estava na cozinha e fui informado que Karls e Akarls decidiram que não iríamos mais fazer as compras de mercado juntos. E que só manteríamos os produtos de limpeza e higiene e que o resto era cada um por si.
Confesso, que na hora não compreendi o que estava acontecendo, eu estava muito desligado, na verdade não acreditava que os meus amigos estavam me excluindo por causa do Lars, eu estava sendo ingênuo, pois não imaginaria que aquilo estava acontecendo.
No meio desse caos todo, Lars, virou pra mim e disse que a irmã dele pediu que ele fosse na casa dela. Então ele iria direto do trabalho e dormiria lá no sábado para o domingo, já que estaria de folga e voltaria pra cá no domingo a noite.
Só que ele não voltou, ele disse que a irmã dele pediu para que ele dormisse lá mais uma noite. Pensei, okay, ele vem então amanhã direto do trabalho pra cá, mas aí ele não veio na segunda, foi quando o peso de tudo bateu.
A essa altura eu já estava angustiado com tudo aquilo e direcionei minha frustração para o lado errado, em vez de confrontar quem estava causando toda essa situação insatistória, eu cobrei dele, porque ele não estava aqui. Perguntei, porque ele não queria estar mais aqui. Ele falou que queria. Então, eu perguntei porque o domingo, virou segunda e agora a segunda virou terça? Ele hesitou, aí eu perguntei se era por causa da Karls e ele disse que só não queria incomodar ninguém.
Eu fiquei mal, por ele se sentir mais incomodado na minha casa do que na casa da irmã dele com o sobrinho folgado que estava fazendo da vida dele um inferno.
Fiquei desapontado, ele veio na quarta, conversei com ele, disse que iria conversar com a Karls sobre toda essa situação. Mas já era tarde.
Era a última semana de Julho, e antes mesmo que eu pudesse conversar com a Karls, Akarls chegou dizendo que não dava mais para dividirmos a conta de água como estávamos fazendo, por 3, teríamos que dividir por 5, já que a conta ficou mais cara.
Na sexta-feira daquela semana, Lars encontrou um quarto numa casa que ele meio que alugou as pressas e ele se mudaria na primeira segunda de agosto. Quando eu pude confrontar Karls, no sábado, sobre tudo aquilo, já era tarde. Falei que fiquei chateado deles quererem repartir a conta da casa por 5 com o Lars pelo mês que ele passou aqui, mas isso nunca foi nem cogitado nos 5 meses do Darls aqui. Falei que fiquei decepcionado por ela não ser capaz de enxergar a minha felicidade. Por não ser capaz de ver o quanto eu estava feliz, como eu enxerguei a felicidade dela com o Darls e o recebemos de bom grado dentro de casa por causa da felicidade dela. Disse que foi muito cômodo pra ela ter alguém pra poder dormir junto, assistir coisas juntos, ter os momentos a dois e quando eu pude ter o mesmo, ela não olhou para mim com os mesmos olhos.
Enfim, Lars se mudou, tomei esse tempo que poderia estar assistindo uma série com ele para escrever tudo isso. Angustiado e decepcionado. Darls não tem culpa de nada do que está acontecendo, mas agora acho completamente injusto ele estar aqui e o Lars não estar, não sei o que fazer, minha vontade é de falar, "acabou a quarentena para os dois, pode voltar para sua casa". Me sinto injustiçado e triste por alguém que eu amo tanto, não ter sido capaz de enxergar que eu estava feliz. É isso, estou esperando a próxima sessão da minha terapia e Karls e Darls estão lá no quarto dela e eu estou só.
E para finalizar, essa foi minha conversa agora a pouco com o Lars.
Lars https://imgur.com/gallery/PRrxEI6
submitted by denesfernando to TurmaFeira [link] [comments]


2020.07.30 20:23 Jaozim_capixaba_VV Frustração sexual e puritanismo. A má influência da igreja e como ela tem afetado a vida sexual de jovens da sociedade

Edit: aproveito para deixar 2 subs sobre o tema:
exchristian e exReformed (em inglês)

Vou falar sobre meu passado religioso e como isso afetou minha vida sexual.
Exemplos deste puratinismo pode ser visto em blogs como https://naomordamaca.com/ que foi um dos principais sites que eu seguia na adolescencia para buscar a abstinência sexual e me reservar para "a minha escolhida".

As frustrações sexuais são sintomas e não uma causa.
Estes sintomas, incluem a falta de atenção afetiva, de poder se abrir e ser falar com honestidade os seus sentimentos para outra pessoa, de se sentir desejado/a de ter contato físico, carícias e até sexo.
Pode ser que existam diversas causas que levem as pessoas a se isolarem deste tipo de intimidade. Se trancando em suas conhas e criando assim a frustração.
Vou citar um exemplo que destas causas que perdurou por quase toda a minha via (tenho 28 anos)
Para mim, a causa foi ter sido criado em um lar extremamente religioso que moldou minha visão de que sexo (fora do casamento) é pecado, sujo e imundo. Além disso sofri anos de abuso emocional por parte dos meus pais (e ainda sofro com isso).
Uma vez que alguém se encontra em uma situação dessas, é difícil arranjar uma solução fácil. Tem gente que vai pras drogas e sexo/vida loka, mas que acaba sofrendo por que, pra falar a verdade, sexo não é tudo. o que a pessoa buscava era uma alguém que a aceitasse por completo.
Outras pessoas, como eu, passam a se reclusar e a lutar fortemente contra estes instintos sexuais e a negar a própria vontade.
É tipo como você se obrigasse a fazer um jejum intermitente. Exemplo: "comer apenas uma refeição por dia por 5 anos seguidos".
Certamente será danoso para o corpo, vc vai ficar fraco, zonzo, ter anemia, pior desempenho e tudo mais.
Exceto pelos religiosos mais "birutas" (desculpe se ofendi) ninguém vai ficar 5 anos fazendo este tipo de jejum.
Então, voltando ao meu caso (que certamente é compartilhado por algumas pessoas com frustração sexual):
Ao ser criado neste ensino religioso Eu aprendi que:
Isto sem falar nas outras áreas da vida (mas este post já tá gigante)
Observando estes pontos, qualquer um consegue entender por que eu nunca namorei e nunca fiz sexo.
Esta vontade não era minha. eu tinha desejo de buscar felicidade ao lado de uma mulher.
Esta vontade foi imposta a mim (e vários outros jovens da minha igreja. Muitos, ainda virgens e com a minha idade).
Foi inculcada na minha cabeça. Foi uma lavagem cerebral. Também foi defendida por minha mãe.
Logo, eu, com 16 anos, tinha medo de namorar e correr o risco de levar esporro de meus pais. Eu não tinha coragem de levar uma garota pra minha casa. Na verdade, eu raramente levava amigos pra minha casa (mas aí é por causa de outros problemas).
Nestes ultimos 4 anos, eu comecei a mudar
Primeiro, eu fui perdendo a fé nas coisas da igreja de pouco a pouco.
Por incrível que pareça, o motivo não era as coisas que escrevi acima. Eu perdi a fé justamente por ler a bíblia, orar e por ir nas atividades da igreja.
Com a gradativa perda da minha fé. de pouco a pouco, fui reavaliando minhas "filosofias de vida" e todos os conceitos que eu tinha. mutos desses novos conceitos eu adquiri por mídias (livros, tv, algumas músicas) e graças a algumas comunidades no reddit.
Um dos conceitos passados que eu perdi, foi essa "pureza sexual"
Teve várias influencias para isso, mas o anime Dororo (2019) tem uma cena realmente chocante e que me fez realizarr o quão estúpido é isso de dizer que uma mulher que teve vida sexual ativa é nojenta e impura. (mas vou evitar os spoilers)
Presente:
Neste ano, entrei em um grupo do Discord que tinha acabado de ser criado. Grupo pequeno. razoavelmente fechado e certamente seguro (ou seja, tolerancia zero contra trolls)Neste grupo, a galera conversava sobre o tema principal, mas também tinha canais para publicar fotos/selfies em geral.
Decidi publicar uma selfie lá.
Passado uns dias, uma garota de lá disse:"Achei seu cabelo lindo! seria muito estranho se eu dissesse que quero passar a mão nele?"
Aí com mais um tempo de conversa, a gente começou a namorar.
É namoro a distância? é!
Pode ser que dê em nada? Sim! (Foda-se!)
Mas depois de todos estes anos me repreendendo, tentando fugir da realidade. Todos estes anos fugindo dos meus desejos...Eu finalmente estou namorando, me abrindo com uma garota, e vendo ela se abrir comigo (no sentido emocional).
Sinceramente. Estou feliz! Me sinto motivado!Quero mudar pra onde ela mora!
(Na verdade eu já planejava mudar pra lá, Mas agora estou bem mais motivado)
submitted by Jaozim_capixaba_VV to desabafos [link] [comments]


2020.07.23 23:59 Miny03995 "Se ele quer ser mulher, ele é gay"

Oi Luba e seres de todos os planetas que estão lendo isso, bom vim contar sobre uma briga que tive com meu tio e gostaria de saber se sou a babaca ou não!
Título: "Se ele quer ser mulher, ele é gay"
Bom, dando um pouco de contexto, eu namoro uma garota que nasceu biologicamente homem mas se identifica como mulher e quer fazer a transição, minha família acabou descobrindo e a reação do meu tio e da minha vó foram bem negativas...
Minha vó disse que a gente vai pro inferno, e que eu deveria apanhar do meu pai (e ela sabe que não gosto que fale dele, por no passado ter me abusado e tal...) E o meu tio, ele disse "ele é gay, pq o homem que quer virar mulher quer dar o cool", eu discordei e pedi pra ele parar de falar aquelas coisas, mas ele não parava. Disse ainda que se eu casasse com ela um dia chegaria em casa e ela estaria dando o cool pra algum homem. Eu tentei explicar que ser mulher trans não significa gostar de homem, e que sobre traição é questão de caráter, mas é claro que ele não ouviu e seguiu falando bosta.
Bom, um dia minha vó achou uma cocota perdida no pátio, ela pegou e colocou num balde pra achar o dono ou soltar, mas ela não procurava dono. E uma hora minha mãe disse que meu tio ia soltar, e como ela foi um animal que nasceu pra ser criado dentro de casa ela não ia conseguir se virar no mato e ia virar presa fácil, eu fiquei indignada e mandei as mensagens dos prints a seguir: http://imgur.com/gallery/tVuHzcz
Bom, ele entendeu que briguei por causa da minha namorada, mas foi por que ele nao respeitou nem a mim e nem a ela e falou coisas horríveis de se ouvir. Eu considero ele um pai, eu era muito próxima, então senti muita falta e tentei pedir desculpas, aqui está o pint do que mandei: http://imgur.com/gallery/yYD1XvU
Ele não quis ver, então ontem fiz um presente pra ele, um tipo de álbum com fotos nossas e um textinho bem fofo, eu tive que dormir aqui na minha vó (que ele mora junto) pq minha casa encheu de abelhas grandonas, e quando fui pedir pra ele abrir a porta do quarto pra mim entregar ele negou, aí eu deixei em baixo da porta mas acho que ele não leu e se leu ignorou. Ele só me da oi quando eu dou oi e mais nada...
Bom, eu tentei pedir desculpas, sei que fiz errado em dizer aquelas coisas mesmo que ele tenha me dito coisas bem ruins, mas ele não quer saber e isso me deixa extremamente triste...
O que vocês acham, eu sou a babaca por pedir respeito daquela forma?
(A cocota foi dada pra uma senhora muito legal, é bem alimentada e tem muito amor) (Ah e não gosto de pássaro na gaiola, mas ela não sobreviveria no mato por não saber buscar comida e nem ter amiguinhos que ajudem, etc.)
Atualização: hoje ele me deixou chocolate perto de mim quando eu tava dormindo, acho que ele ta mais de boa :)
submitted by Miny03995 to TurmaFeira [link] [comments]


2020.07.13 05:29 trouxa-apaixonada Como fui trouxa e não foi pouco..

Olá ! Luba, Editores, pessoas que podem ler se quiserem, bom, sem mais delongas, é que não sei se estou escrevendo no lugar certo, mas ok (primeira vez aqui)
Então tenho 23 anos, e ano passado, levei um SUPER pé na bunda do meu ex, vamos chamar ele de (Carls) para resumir eu fazia tudo por ele e mesmo assim levei um pé, porque afinal, não importa o que a gente faça nunca vai ser suficiente para quem não valoriza, ps: além dele vir no dia do meu aniversário me parabenizar e depois dizer que não gostava de mim, o que era super desnecessário, descobri que levei galha, mas aquilo foi triste, ele esfregou a atual na minha cara, mas superei, meses depois de superação, agora sim a história, um amigo de um amigo viu uma foto minha o (Lars) chamaremos assim, veio querendo me conquistar, e eu super resistente disse, olha eu não quero porque enfim, sai de um relacionamento e foi bem bosta, MAS como um bom BR que é, honrando o time do “não desisto nunca” esse jovem rapaz ficou em cima, marcamos da sair, fomos ao shopping (isso antes da pandemia) e olha foi bom, ele conquistou meu coração de donzela apaixonada. Bom tudo estava indo bem, se atentem ao estava, foram uns 6 meses de lance romance, mas comecei a perceber certas coisas, 1º ele não postava nada de fotos comigo, o que é estranho porque 6 meses é um relacionamento me faz pensar agora que era pros contatinhos deles não saberem coitadas, o que nos leva a 2ª coisa ele nunca falava de namoro, mas gostava do comodismo me deixando lá com ele falando de um futuro nosso HAHA!que piada me iludindo forte e 3º a manipulação.
Vejam bem, conforme o tempo foi passando ele foi dizendo coisas absurdas, coisas que meus amigos falavam corta esse cara, ele não te respeita, mas eu estava lá firme e forte seguindo meu coração e quando chegava e falava que não dava mais ele dizia (eu posso mudar) por favor, essa frase merece toda a ironia quando lida, e eu acreditava, até que um dia, discutimos por um negócio bobo, e ele mudou, começou a demorar para responder, não falava comigo por horas e só mandava boa noite ou bom dia (como se eu fosse agenda) ENTÃO SURTEI, falei tudo, disse que ele estava estranho e tinha mudado, mais foi um big texto que dava 3 cartolinas CHEIAS, para receber a resposta de duas linhas dizendo o que ?? Não vou responder pois não tem o que dizer, bom depois disso como uma ótima agenda que eu deveria ser para ele, recebi um boa noite, depois disso nunca mais nós nos falamos, não sei como ele está, mas é como dizem, o silêncio também fala não é mexxmo.
Fui trouxa dele porque quando me apaixono fico assim uma trouxa mais que ja sou, quero animar a pessoa e saber que está bem enfim, quero também poder estar presente, mas esse foi um “amor” que começou antes da quarentena e depois dela durou pouco porém o suficiente para ver que eu estava amarrando meu cavalo na cerca errada, histérica e que um belo dia poderia me bater. Para as meninas e meninos, lembrem-se as vezes estamos só regando flores mortas cuidado com quem se racionam. Beijos. Estou superando E Luba ele falou mal do seu canal quando mostrei os NICE GUYS, oseja ele é um nice guy. Obrigada a todos e BEIIIIJOS.
submitted by trouxa-apaixonada to TurmaFeira [link] [comments]


2020.07.07 09:26 SinthiaMor Sou babaca por ter sido sincera com a minha mãe?

oi turma/chat, talvez o luba e suas gatas fofas e editores, preciso de ajuda pra saber se fui babaca em uma briga que tive com a minha mãe, mas antes vou contar o contexto da minha criação. Quando era pequena eu recebia pouca atenção dos meus pais, eles viviam trabalhando, mas minha mãe sempre sendo melhor que o meu pai fazia de tudo pra eu n ficar entediada, não me dando atenção mas eu so tive brinquedos por causa dela. Eu tambem vivia na casa da minha melhor amiga então sempre fui mais “independente” que o meu irmão... Atualmente (com 16 anos) tenho um namorado incrivel, temos 1 ano e alguns meses de namoro, e nessa pandemia to praticamente morando na casa dele, por conta do EAD. Em casa eu e meu irmão tínhamos um unico computador e ele era todo velho e travava bastante, até q no fim do ano passado ele resolve montae um novo do zero, com a ajuda dos meus pais mas com o dinheiro principalmente “dele” (trabalhando com a minha mae mas n entraremos em detalhes). Quando a pandemia começou e minha escola começou com o sistema de ensino à distância eu precisava usar o computador pra estudar, por conta disso gerava bastante briga entre mim e ele (meu irmão) porque ele queria usar pra jogar com os amigos, ate que um dia isso gerou uma briga em que quase entramos no soco. Ele com 26 anos, que não estudava n queria me deixar estudar e ele me tirou à força do computador. Tenho muita ansiedade e ataques de pânico, talvez ate uma depressão (nunca tive coragem de descobrir), minha mae louca sem saber o que fazer e meu pai fazendo nada. Depois dessa briga eu comecei a ter muito ataque de pânico onde eu n conseguia respirar de tanto q eu soluçava, chorei por várias horas. Por conta de não poder usar o computador, minha mae me deixou ficar na casa do meu namorado pra podermos dividir o PC para fazer as atividades juntos (isso no começo de abril), to aqui desde então. Muito insatisfeita com o sistema da minha escola, eu e meu namorado tivemos q entregar 23 tarefas pra um unico dia, alem de 14 provas ao longo da semana, com a escola ligando pra minha mae q eu n tava recebendo presença nas aulas ao vivo (que eu n assistia de propósito pq eles não passavam materia nova e eu teria q acordar 6 da manhã pra assistir). Com tudo isso infernizando minha cabeça, tive mais ataques de pânico e muita ansiedade, e tudo piorou ainda mais com a minha mãe me cobrando mais e mais. Um dia ela apareceu aqui do nada pra conversar sobre os defeitos do sistema da escola que ela iria ligar la para resolver, pra assim me ajudar. Era oq eu pensava. No dia seguinte ela me disse q o vice diretor (que é mais presente q o próprio diretor) iria me ligar pra conversar. Depois de uma hora de ligação, eu expliquei tudo pra minha mae e estaria resolvido. Ate a escola causar mais problemas q levaram à tal briga. Ontem, (segunda) teria uma reunião ao vivo da escola com os dois vice diretores conversando com os pais, ate porque todos os alunos tavam putos com eles. Minha mãe me mandou assistir, mas não aguentei 30 minutos de ouvir papaya deles então preferi contar isso pra ela, que n iria resolver nada doq eles fizeram e foi quando a briga começou. Minha mae em todas as circunstâncias sempre me aponta como culpada, então disse q oq a escola tava fazendo estava certo e eu (e mais uns 80 alunos) errados por discordarem do sistema deles e que eu deveria fazer minha obrigação de estudar (sendo q eles nem passavam aula de verdade) ou ia me tirar da casa do meu namorado e da minha escola também. Tava cansada de ouvir essas merdas todas de mim e retruquei, falei tudo oq achava disso tudo, e ela, pra ajudar, continuou falando q o problema era eu. Isso foi a gota pra mim, por anos, ela nunca me deu atenção, me mandava calar a boca quando queria falar dos meus problemas ou falar de coisinhas bobas q me deixaram feliz, todas as brigas q tive com as minhas antigas amigas (q inclusive eram toxicas pra caralho) pra ela so era possivel ser tudo culpa minha, tudo isso me fez ser fechada pra minha família, e mesmo assim ela sempre me fazia me sentir inútil por tirar notas ruins, me sentir sem valor por n me querer por perto, um incômodo por o tempo todo falar q a familia do meu namorado tinha q me aguentar aqui. Por tanta raiva acumulada eu descarreguei tudo oque sentia, falei tudo isso e muito mais q eu guardava por quase a minha vida toda e causou muita briga entre mim e ela. Ela ta me ameaçando me tirar da casa do meu namorado e me trancar em casa, mas depois de tanto trauma que vivi lá, é o ultimo lugar que eu quero ficar Me desculpem por um textão mas eu realmente precisava desabafar...
submitted by SinthiaMor to TurmaFeira [link] [comments]


2020.06.21 20:43 Wooden_Statistician3 Tudo que falo só piora e só queria que voltasse a ser como era antes

Desabafo. Há alguns meses casei, depois de menos de um ano de namoro. Apressado? Com certeza. Mas as circunstâncias meio que pediam. Ela veio de uma família extremamente quebrada e tóxica. Vivia sozinha há alguns anos, dependendo de auxílios de faculdade, parentes que só sabiam reclamar de estar ajudando, etc. Ela tem depressão profunda, e não tinha nem como se tratar.
Quando a conheci ela estava namorando, mas um namoro só de fachada, pois na verdade ele era abusivo e não deixava ela terminar, sob ameças contra a própria vida por parte, e à vida dela por partes de parentes dele. Durante boa parte da sua vida, a chamaram de feia, estranha, etc. Na faculdade as coisas mudaram, e começaram a enxergar a sua beleza, ficou com vários, mas sua auto-estima baixou tanto ao longo da vida que ela aceitou namorar com essa cara, sem nunca de fato querer, e acabou presa nesse relacionamento por mais de 2 anos.
Eu só tive uma namorada, há mais de 10 anos, e um crush forte até alguns anos atrás, o qual acabou em inimizade total. Sempre percebi que não era interessante pra nenhuma garota, na aparência, e nunca tive qualquer desenrolar pra "chegar". Depois de namorar, tomei gosto, e tentava. Porém do meu jeito tímido e, claro, ineficiente. Anos disso me fizeram perceber que não havia porque eu ficar insistindo em "achar alguém", se fosse acontecer seria no dia-a-dia normal, ou quando eu realmente me melhorasse como pessoa. Foquei então na minha educação e no profissional.
Um dia ela, ainda em namoro abusivo, falou comigo pelo Whatsapp, tarde da noite. O meu racional dizia pra eu ir dormir, pois a pessoa responsável e profissional dorme cedo e acordar cedo (ou assim deveria, pelo que dizem). Mas algo me fez querer falar com ela, mesmo que ainda de forma um tanto fria, admito. Papo vai, papo vem. Como parecia ser só uma amizade, eu falei abertamente com ela, inclusive quando ela perguntou de relacionamentos/crushes passados.
Semanas depois, ela termina o namoro e diz que gosta de mim. Pela primeira vez em muitos anos volto a sentir aquilo que senti no primeiro namoro. E ficamos, e namoramos, e tudo foi muito intenso. E então casamos, para que ela pudesse ter acesso ao meu plano de saúde como dependente e tratar, principalmente, da depressão, pois várias noites a vi chorar pelo seu passado que ainda atormenta o seu presente: ela não consegue nem mais estudar e boa parte das tarefas domésticas ficam pra mim. Mas havia tudo pra melhorar, não havia? Infelizmente, tudo mudou um dia.
Ela acordou e disse que sonhou que eu falava que eu achava aquele meu crush forte (Fulana) de alguns anos antes mais bonita que ela. Depois de algumas horas, como se perguntasse algo banal, ela perguntou se achava mesmo. O problema: eu considero a Fulana bonita, mesmo nível, mas o sentimento que existe é pela minha esposa e, obviamente, ela me é "a mais bonita". Mas ela não aceitava esse tipo de resposta, ela queria que eu respondesse de forma crua. Eu, que sempre procuro ser honesto, correspondi. Como considero as duas de mesmo nível, foi difícil. Conseguia lembrar de momentos onde uma estava mais bonita que outra, mas não chegava a "vencer". Uma certeza eu tinha, e continuo tendo, minha esposa tem a maior capacidade, ou seja, consegue ser a mais bonita. Mas ainda assim minha resposta não foi suficiente: ela dizia que eu estava enrolando, com medo de dizer a verdade. Não entendi do que deveria ter medo afinal, pra mim, a resposta mais direta e crua não fazia a menor diferença nos meus sentimentos para com ela. E, se eu estivesse raciocinando direito eu teria percebido a armadilha bem ali na minha frente, mas eu caí nela quando ela novamente exigiu a resposta direta e crua: ou ela ou a Fulana. E eu falei a Fulana.
E, de repente, ela começou a me atacar. Dizendo que eu acho a Fulana "linda e maravilhosa" e ela feia (quando pra mim ambas tão no mesmo nível, e pra mim ela vai ser sempre a mais bonita, pois é ela que eu amo). Que meu sonho era que tivesse dado certo com a Fulana, mas que ela foi o que deu (quando ela, e somente ela, que conseguiu reacender meus sentimentos, mesmo quando tudo dizia que não valia a pena sonhar com isso (afinal ela tinha namorado, etc.). Eu tentava explicar meus sentimentos, mas nada adiantava. A frustração, a angústia tomou conta e então, a raiva. Raiva de como algo que estava morto no passado, voltou pra me assombrar. Raiva de que algo completamente irrelevante no meu presente, e portanto nosso presente, estava ali, destruindo nosso casamento. Pois ela começou a querer ir embora, anular casamento, se separar. E na tentativa de melhorar as coisas, eu sempre piorava. Acabei falando palavras (que pra mim não teria tanto significância se ela dissesse), mas infelizmente pra ela tinha: disse que ela estava sendo "idiota" por insistir tanto nas afirmações desses ataques e desconsiderar completamente o que eu sinto e falava. Só estava tendo "amenizar" a situação, segundo ela. E que no fundo, eu queria alguém """melhor""" que ela.
Isso foi uma tarde. Ela eventualmente parou quando percebeu o quão mal eu estava. E claro que eu estava. A pessoa que eu amo e por quem eu faço tudo, praticamente "inventou" um motivo pra me atacar. E daí que numa análise crua e racional, naquele ponto específico da história, a Fulana havia "vencido" no concurso de beleza entre as duas. Grande bosta. Minha esposa continuava sendo bonita, e pra mim e meu amor, a mais bela. Era ela que realmente havia gostado de mim, era ela que quis casar comigo, era ela que me acompanhava nos filmes de sábado à noite, era ela com eu me via vivendo pra sempre do lado. E de repente, parecia que nada mais disso iria se tornar realidade e por quê? Por algo que nem ao menos mudava o que eu sentia em relação a ela e nunca iria.
Durante o final da noite, eu tentei dormir, mas não conseguia. Tentei assistir vídeos de "como lidar com a pessoa amada em depressão". E ela começou a chorar do meu lado, muito. Larguei o vídeo, abracei-a. E ali as gentes se aceitou novamente. Ou assim parecia, porque poucos minutos depois, ela pergunta, inocentemente, se eu acho minha irmã mais bonita que ela. E o fato é, se eu dissesse que não seria uma bela duma mentira, e mesmo que eu achasse, ela diria que eu estava falando aquilo só pra agradar. E eu, O idiota, achando que estava tudo bem de novo, respondi que sim. E novamente ela começou a me atacar. E POR CAUSA DA MINHA IRMÃ!?
Atualmente eu me considero forte pra aguentar essas coisas, mas não dava mais. Ela quebrou minhas defesas com esses ataques. E tudo que ela me falava soava como "EU TE ODEIO". E eu aceitei esse ódio dela, pois, afinal, ela devia estar certa. Eu sou uma pessoa com 30 anos, aparência ok, mas que não tem amigos e só teve uma namorada antes dela. É óbvio que tinha algum problema, o problema de que eu era detestável. Eu sempre tentei demais ser prestativo e tudo mais, mas quando o assunto são sentimentos eu nunca consegui transmitir isso. Abraço minha mãe quatro vezes ao no: aniversário dela, o meu, dia das mães e natal. Sempre um abraço bem "desengonçado". Eu noto isso, mas sempre foi assim, e eu não sei mudar. Eu sei o que eu sinto, mas minha demonstração é e sempre vai ser insuficiente. E por isso todos ou acabam por me detestar ou se afastar de mim. Mas eu realmente pensei que com ela seria diferente.
Alguns dias se passaram e as coisas até foram melhorando. Até que cai tudo de novo. Ela conta pra uma pessoa, que mal conhece, que eu achava que ela na praia não ficava tão bem quando dentro de casa. Sim, eu havia falado algo do tipo, quando no começo da discussão ela pedia pra eu ser mais direto. Oras, ela tem umas manchas, gordurinhas a mais, etc. do que a fulana. Eu me sinto menos bonito do que um cara que não é assim, mas nem por isso me acho feio, ou ache vou sempre ser inferior. É só eu cuidar disso. E se não cuido, é porque tenho outras prioridades. Da mesma forma com ela. Não acho ela feia, nem menos bonita, só relatei o óbvio. E se ela não quiser cuidar, ou não conseguir cuidar, não é problema pra mim. Eu casei com ela pelo pacote completo. E assim como eu, ela também vai com o tempo perder pontos na aparência. E assim como eu, espero que ela ainda me ame, ainda me ache bonito, com eu continuarei amando ela e achando bonita. Mas não importa eu falar isso. Pois ela quer sempre dizer que tudo isso que eu falo é balela, enrolação, agrados, etc.
Pelo meu jeito detestável de demonstrar sentimento ela perdeu totalmente a confiança nos meu sentimentos, a ponto de nada o que eu falo valer mais. Ou talvez, no fundo, ela espera que eu seja pra sempre tão bonito quando ela acha atualmente, e quando eu não foi mais, ela vai me trocar por alguém que envelheça melhor. Mas se eu falo isso pra ela, ela bate o pé pra dizer que pra ela é completamente diferente, que o sentimento dela é real, mas que o meu? O meu é de mentira, porque assim ela decidiu. E ela ainda diz que eu mereço alguém ""melhor"". Mas o fato é, que ela se estiver certa, o que eu mereço é desaparecer. Pois o meu eu que ela odeia, é o único eu que existe. E se ela não é capaz de amar esse meu eu, e insiste em brigar, está mais que na hora de ela admitir o que está bem na frente dela: ela não me ama. Não mais. Só espero que não tenha sido nunca. Porque pior que ver tudo se destruindo e não poder fazer nada, pois nada do que eu falo impede, pelo contrário, piora, e ficar calado não é opção, então que pelo menos não tenha sido tudo uma mentira.
E hoje ela do nada veio falar que tá com medo de engordar, pois, segundo ela, eu falei que iria querer outra se assim acontecesse. Eu nunca falei isso, assim como nunca falei outras coisas com as quais ela vem me atacando. Mas o pouco que eu digo, se transforma num muito na cabeça dela. Eu não aguento mais. Eu peço pra ela parar, mas ela insiste em, nas palavras delas, "me colocar contra a parede pra botar as verdades pra fora". Mas do que adianta isso, quando ela já decidiu o que é verdade e o que é mentira? Nada, e por isso eu só queria que ela parasse. Que não pelo amor que ela supostamente sente por mim, mas pelo menos em consideração a tudo que eu fiz por ela.
Pois agora eu já não sinto nada. Um nada que não me permite nem ao menos dizer o que sinto por ela. Mas enquanto eu quero acreditar que ainda amo ela, ela insiste. Eu novamente pedi pra ela parar, e afirmei que não sei mais se gosto dela, mas que se ela realmente me ama, ela tinha que parar, e me deixar sentir novamente. Mas meu medo é que ela continue (ela está passeando com uma amiga nesse momento), pois se ela continuar o pior vai acontecer. O amor vai virar ódio. A vida vai virar morte. Figurativamente (apesar de temer, e muito, que aconteça literalmente para ela).
submitted by Wooden_Statistician3 to desabafos [link] [comments]


2020.06.21 06:02 harrys23 O chapéu do Jean nunca coube tão bem

Olá luba, editores, gatas e turma que está a ver. Então, essa só uma história de como amor próprio é importante na vida da gente (a história é grande, mas vale a pena, dê uma chance). PS: Tinha 21 anos quando tudo isso aconteceu, hoje tenho 22, isso pode ou não deixar a história mais revoltante. resumo no fim do texto, caso não queria ler tanto.
Eu comecei a namorar a Barls quando entrei na faculdade, foi um namoro com altos e baixos, com alguns meses de namoro eu traí ela por que ainda tinha uma mentalidade infantil e sem maturidade. Ela ficou extremamente magoada comigo e eu realmente me senti arrependido pelo meu erro, ela me perdoou e eu fiquei meses tentando reconquistar a confiança dela.
Com o tempo superamos isso e tudo ficou no passado. Namoramos por 1 ano e alguns meses, ela me pediu em casamento, eu disse não porque eramos somente estagiários e seria complicado casar do nada sem ter nem um real no bolso. Mas depois de uns meses, pedi a mão dela em casamento na praia quando viajava com a família dela (P.S: ela perdeu a aliança no mar na mesma hora ¬¬).
Depois de completar 2 anos de namoro, investindo a metade dos nossos 2 salários de estagiários por mês, casamos. Foi ótimo, eu me atrasei pra chegar no casamento, meu avô que nos casou, a festa de casamento foi no McDonald, só coisa chique de um casamento de estagiários kkkk. Conseguimos um apartamento que nossos salários conseguissem pagar o aluguel, com o dinheiro investido conseguimos mobiliar a casa (junto com umas ajudas das nossas famílias)... Por 3 semanas eu chegava em casa me sentindo realizado.
Nota-se que eu disse 3 semanas. Após 3 semanas de casados, um amigo nosso (Arls) da faculdade nos chamou pra uma festa na casa dele pois os pais dele tinham viajado e eles liberaram pra ter uma festa. (P.S: Arls era meu melhor amigo, considerava ele meu irmão) Pra encurtar a história, eu vi Arls e Barls se beijando na piscina depois da festa.
Confrontei os dois, eles assumiram ter sentimentos um pelo outro desde que se conheceram mas que tinha sido a primeira vez que tinha ocorrido isso (se pegarem). Ela começou a desmaiar por ter problemas de ansiedade, quando acordava falava pra eu ir embora e que não queria me ver, e desmaiava de novo. Ela desmaiou mais umas 3x dizendo a mesma coisa. eu deixei ela com o Arls no quarto e disse pra ele que se ela acordasse era pra dizer que eu fui pra casa, mas que qualquer coisa tava do lado de fora. Passei a noite acordado, chorando.
No dia seguinte, ainda na casa de Arls, sentei pra conversar com ela, disse que a perdoava, mas que precisava saber se ela ainda iria querer continuar juntos (já que sente algo por Arls) e que, se fosse continuar, ela teria que ganhar minha confiança do zero, como eu tive que fazer e queria essa resposta até o final do dia. Fomos pra casa. No fim do dia ela pediu pra abrir a relação pra poder continuar ficando com Arls, e que só responderia se queria continuar comigo depois que eu respondesse sobre abrir a relação. Eu concordei em abrir a relação, ela disse "claro que eu vou continuar com você, mas se você não tivesse aberto a relação eu iria pedir um tempo".
Não, essa história não acaba aqui (JEZAS), ela ficava com Arls depois da faculdade no caminho pro trabalho dela, fins de semana e tals. quando voltávamos pra casa juntos depois do trabalho, ela ficava no celular conversando com ele, "a saudade dele é maior que a sua porque você mora comigo" ela dizia quando eu pedia atenção e tudo mais. Depois de 2 semanas de relacionamento aberto, ela pediu pra virar poliamor (queria namorar com ele enquanto casada comigo) porque se descobriu poligâmica. Eu não queria desaprovar quem ela realmente era, não queria deixar ela infeliz porque ela era (pra mim) o amor da minha vida, minha esposa e eu amava ela.
Eu entrei numa depressão fodida, só comia quando não aguentava mais de fome porque tinha medo de pegar a faca e me matar (como quase aconteceu uma vez nesse meio tempo). Nós não conversávamos direito, não tinha mais afeto, não tinha mais carinho... Ela começou a ir cada vez mais com frequência pra casa dele, ficar comigo só um ou dois dias e depois ficar com ele por mais tempo.
Eu pedia atenção, explicava pra ela como me sentia, pra ver se ela nota que seu marido queria atenção pelo menos. Um dia, ela sentou comigo e terminou a relação, com o motivo de que a relação estava toxica pra ela porque eu pesava o emocional dela.
A história ainda não acabou, porque não basta ser corno, tem que ser trouxa kkkk. Ela terminou mas pediu pra que ainda morássemos juntos, pra fingir que ainda estávamos casados para nossas famílias pra não perder a ajuda deles (eles ajudavam pagando nossas faculdades alguns meses). Eu aceitei com medo de não ser aceito pela minha família (que eram contra o casamento desde sempre).
Passei por muita coisa que, quando conto, meus amigos ainda querem me bater por ter passado por isso. Eu dormia só dormia no sofá e ela dormia na cama com ele (cama dada de presente por meus pais), ela ia "tomar banho" demorado junto com ele enquanto eu estava na sala tendo que aumentar o som da TV (deu pra entender né?), tive que ficar 1h no salão de jogos do prédio porque ela queria "um momento a sós com ele"... Enfim.
A casa que eu chegava e me sentia realizado, era uma prisão de tristeza que eu mesmo criei. Alguns amigos me tiravam de casa porque vivia sozinho e depressivo, eu comecei a beber muito pra não pensar em me matar, fumar muito pra controlar a ansiedade. Até depois de 5 meses nessa situação, meus amigos me encorajaram a sair de lá e contar aos meus pais.
Contei pra Barls que queria sair de lá e contar para meus pais, Ela pediu que eu contasse que terminamos porque eu comecei a beber e fumar e por isso não tava dando certo pra ela (porque foi o que ela contou para os pais dela). Pediu pra que ela ficasse com as coisas e o apartamento, e eu concordei em deixar tudo pra ela porque só queria paz.
Contei TUDO para meus pais, morrendo de medo de ouvir um "triste, agora se vira". Eles me acolheram em casa, buscaram minhas coisas porque não queriam que eu voltasse pra lá, tentaram ouvir o lado da Barls (que não quis conversar com eles), me colocaram em terapia e num psiquiatra.
Dias depois que saí de lá, Barls me chama de manipulador, mentiroso e que fiz todo mundo achar que ela é a vilã. chegou a dizer "não tem como qualquer pessoa ter qualquer tipo de relacionamento com você" (e ouvir isso de quem você ainda ama é algo que marca bastante). Tudo porque nossos amigos em comum ficaram do meu lado, mesmo dando a ela a chance de contar o lado dela da história ela sempre desviava do assunto ou nunca falava nada.
Hoje em dia ainda to no processo de divorcio, não tenho contato com ela a não ser pra falar do divorcio. Ainda tenho problemas com autoestima e depressão, mas sei que 90% disso que passei não teria acontecido se eu tivesse tido amor próprio. Não me culpo por ela ter me traído, nem nada, apenas me culpo por não ter amor próprio o suficiente pra dizer não a ela e pensar no meu bem estar emocional pra ter deixado essa situação mais cedo.
É isso luba, minha história é revoltante, eu sei, provavelmente vou receber mensagem dela porque ela também te acompanha (se ela encher o saco eu bloqueio e foda-se). Mas queria compartilhar minha história pro pessoal ver como amor próprio pode salvar sua sanidade. Beijo lubisco <3
"Caraca que história grande pra caralho, num vou ler": Fui corno, abri a relação pra ela ficar com o cara, ela pediu pra poder namorar com ele enquanto casada comigo, terminou comigo depois, pediu pra fingirmos que estávamos juntos pra nossas famílias e quando saí de lá, eu sou o errado por contar essa história.
submitted by harrys23 to TurmaFeira [link] [comments]


2020.06.21 01:07 Doraavantureira Sou o babaca por começar a namorar outra pessoa?

Olá turma, gatas, editores, papeloes sobreviventes e Tia Carminha, acho que faltou alguem.... não, não faltou não
Minha historia é a seguinte
Os personagens: Minha ex: Jarls Minha atual: Karls
Eu terminei um namoro que tinha com a Jarls, TREIX meses depois, comecei a namorar Karls. Eis que recebo uma mensagem da Jarls dizendo: Você é um babaca, termina comigo e ja vai namorando outra, você me traiu e nao considera meus sentimentos, insensivel!
Sendo que o namoro acabou 3 meses atrás, Jarls e Karls sempre foram inimigas, talvez por isso Jarls tenha fucadi tao brava Terminei com Jarls pq ela era EXTREMAMENTE MIMADA No dia dos namorados ano passado dei um presente de uns 300 reais a ela, ela jogou o presente na minha cara pois "Era pobre demais" Fora que ela me traia toda Quinta com pessoas difrerentes (fiquei sabendo disso pela Karls) Ela nao me amava, por isso terminei Agora estou bem e feliz com a Karls, que realmente me ama, é isso Lubixco >29
Sou o babaca?
submitted by Doraavantureira to TurmaFeira [link] [comments]


2020.06.14 06:32 SnowShadowZ eu amo a minha melhor amiga (+ dq deveria ?)

ela era a minha vizinha e nasceu no mesmo ano que eu, as nossas mães eram muito amigas então eu tinha/criei essa amizade por uns 7 anos até que ela se mudou...
nós estudavamos na mesma escola então sempre nos víamos, chegamos até a estudar na minha sala por uns 3 anos seguidos.. nossa amizade cresceu muito, eu considerava ela uma irmã e viramos melhores amigos.. até que uma vez no 9° ano, certo dia ela estava agindo estranho e sua amiga me disse que ela tinha sentimentos por mim e que estava com vergonha de dizer o que sentia.. eu não sabia o que dizer nem o que sentir então apenas falei que considerava ela uma irmã pra mim e que eu me importava muito com ela.. nós dois nos abraçamos e aceitamos e apenas fingimos que aquilo n aconteceu.
então chegou o 1° ano do ensino médio, conseguimos entrar na mesma escola, mas em cursos diferentes.. uma garota estava dando em cima de mim, uma garota que ela não gostava.. eu fiquei com ela e tudo mais mas não sentia nada por ela, não era ela quem eu queria e gostava, fiquei mt confuso e percebi que eu criei um sentimento mt forte pela minha melhor amiga. talvez criei esses sentimentos por que as suas amigas sempre shippavam e perguntavam do por que a gente não namorar e a gente apenas respondia que eramos melhores amigos...
então meu aniversário chegou e ela fez todo um presente fofo pra mim e eu naquele dia me decidi que realmente gostava dela.. e novamente uma de sua amiga me pergunta o que eu sentia por ela. eu respondi, dizendo que amava ela desde do 9° ano mas não estava preparado e que não sabia o que fazer sobre aquilo. (isso foi no final do ano passado)
obvio que não demorou e ela ficou sabendo, e tudo ficou mt estranho.. nos olhavamos mas não íamos conversar um com o outro, e começamos a nos ignorar... até que resolvemos conversar... (começo desse ano)
botamos tudo no papel e falamos o que sentíamos um pelo outro, ela também gostava de mim mas me disse que não estava pronta pra um namoro, por conta de seu pai, ela mesma não saber o que querer entre outros motivos.. e eu apenas disse que por mais que tivesse todos esses problemas eu iria esperar por ela.
se passou 3 meses quando isso aconteceu, e nada rolou (também por conta da pandemia). e eu não sei oq devo fazer.. tenho medo de tomar atitude e ela não estar pronta. mas também tenho medo de que na vdd ela esteja esperando eu fazer algo. ou de estar apressando muito as coisas... é cansativo esperar ela tomar atitude por que não sei se ela vai tomar...
o que vocês fariam ?
submitted by SnowShadowZ to desabafos [link] [comments]


2020.06.09 17:47 Rors__chach Estou sendo proibido de ver minha filha, o que devo fazer? (Medida protetiva) (alienação parental)

Longo desabafo..
Meu primeiro post no sub, e gostaria de fazer um desabafo de uma situação que está me matando por dentro.
Conheci a mãe da minha filha no tinder, notei que era ex do primo do meu melhor amigo, ninguém tão próximo a mim, então resolvi investir. Papo ótimo, resolvemos nos conhecer e foi muito bom, adoramos. Então fiquei curioso e resolvi perguntar pro meu melhor amigo a respeito dela que até então não estava sabendo de nada. Ele disse mais ou menos assim: “cara pula fora que é roubada, parece que se separaram porque ela traiu ele e tals.” Daí fiquei meio assim, mas resolvi pensar que podia ser diferente (porque estava bom demais pra ser verdade). Então fiquei com o pé atrás, questionei ela sobre, se realmente estava tudo superado e ela poderia seguir em frente e ela disse que sim. Acontece que eu sempre notava uma indiferença, um tal afastamento, tímida demais, isso foi com o desenrolar de umas 3 semanas ficando. Daí quando começamos a namorar, (detalhe, eu morava numa cidade e ela em outra e nos víamos seguidamente na semana, mas tinha 62km que nos mantinham longe) ela logava muito no google dela no meu pc e numa dessas quando fui sair, notei na pagina principal de privacidade do google que ela tinha pesquisado “como voltar com o ex?” “Nao aguento mais quero voltar com o ex”, logo em baixo tinha “pinto pequeno”, “pinto fino”. Já associei que poderia ser eu que ela estaria se referindo e fiquei magoadíssismo. Acabei o namoro, ela correu atrás de mim veio pra cidade que estava morando tentando explicar que nao era isso que ela estava confusa em relação a isso e que nao estava conseguindo me explicar que gostava muito de mim e do nosso sexo e que o lance do penis ela não sabe porque pesquisou porque acha meu pau maravilhoso e inclusive goza cmg e tal q nao era nada disso...
Eu acreditei, voltamos a namorar e adivinhem.. ELA FICOU GRÁVIDA! Sim, e como ela passou uma semana inteira na cidade onde eu estava, contando com o tempo do sexo, o tempo do feto, o mes do atraso, da certinho na semana que ela estava la, e sempre transamos sem camisinha porque ela falou que tinha um cisto e era impossível engravidar. Eu segui complexado, fazendo técnicas e exercícios jelqi, bomba, e essas paradas de aumento. Nós não tínhamos um certo grau de amizade, eu era meio desconfiado. E o pior aconteceu, ela começou a me tratar super mal e ficar emotiva demais e viver me correndo e me tratando feito lixo, (li que era por culpa dos hormônios e resolvi insistir), só que então nós brigavamos muito por essas histórias de ex e ela era muito atacada sempre, mudou demais. Más sempre transávamos parecia que tínhamos obsessão nesse assunto, e ate inclusive hj sei que fiz ela muito feliz na cama e meio que curei esse trauma, mas ainda existe. Enfim, um dia estávamos tão afastados tão com nojo de tudo que tava rolando, dai eu ia na casa de amigos e tal (mas sempre participando da gravidez, enxoval e essas coisas), e o meu melhor amigo me disse que tinha uma coisa pra me contar, era que o primo dele tinha recebido um sms de feliz aniversário DELA dizendo “saudades (coração vermelho)” Eu acabei com ela pela segunda vez. Sai pra festa comi gente, me enlouqueci porque sempre quis ser pai e ter um relacionamento estável, antes disso fui noivo, e nao deu certo também. Ela entrou muitas vezes em contato, nunca assumindo o erro. Ate que um dia ela veio aqui em casa chorando se explicou toda e eu? Eu voltei. Mas fiz ela prometer que nunca mais essa história de ex de novo. E enquanto isso por eu fazer tal cobranças, ela começou a me taxar de controlador e que eu estava pensando demais nessa história “abusivo”. As amigas delas todas são do movimento eu respeito e tudo bem, mas não sou assim. E começaram as brigas de novo (e eu querendo evitar por ela estar grávida). Até que um dia brigamos feio e ela me empurrou e me deu vários socos de raiva e confesso que peguei os braços dela e encostei ela na parede pra ela parar. Ela saiu chorando, colocou medida protetiva e me vendeu por ai como violentador doméstico. Nunca nem morarmos juntos. Enquanto isso, eu provei todos os sentimentos de culpa possíveis no meu sofá, entrando num estado de coma profundo com hábitos erradíssimos, como fumar muita maconha e ficar vendo serie o dia inteiro, fiquei desenpregado e pagava alimentos gravídicos pra ela, vendi meu pc pra pagar um dos meses. Então começamos a nos falar de novo, ficamos de novo, transamos de novo, até brigar por um pedido de guarda dela que ela fez enquanto estava “bem” comigo. Fiquei puto e separei de novo. Fiquei com as meninas da minha faculdade e tals trabalhava, levantei da depre, consegui respirar sem ela. E varias brigas na justiça, até que o amor da minha vida nasceu. Desde o hospital ate quando eu podia eu estava vendo a minha filha, comprava as coisinhas pra ela e ela foi crescendo. E uma vez elas brigaram comigo porque eu estava vendo demais a criança e elas tinham intimidade também (ela e a mãe dela). Falei que era presente e ia respeitar mas eu so vi dois dias naquela semana e rapidamente entao nao sabia q estaria atrapalhando. Brigaram comigo eu tbm briguei e fiquei puto e foram na casa da minha mae onde deu maior briga e adivinhem?? “Medida protetiva” de novo! Ficamos em media um mes sem ver a minha filha porque ela era de colo e nao podia chegar perto. Duas semanas após a audiência, começamos a nos falar de novo, eu participei mais, nao ia so aos domingos, ela me pedia coisas grandes do tipo, cadeirinha e bebe conforto. Eu fui me aproximando de novo e mais uma vez ficamos de novo, mas so que vivemos uns 3 meses sem brigar como se fôssemos familia mesmo eu ate dormia la todos os dias. Mas o passado nao parava de assombrar ela e ela vivia dizendo que eu abandonei ela gravida e ficava me botando pra baixo e um dia brigamos serio de discutir de novo, dessa vez nao me aguentei, xinguei ela como ela me xinga no whats, criei prova contra mim mesmo, mandando ela longe no máximo, mas enfim, ela conseguiu desenhar em mim um “agressor” pra sociedade, na última audiência o juiz chamou ela de mimada. A minha mae detesta ela e acha ela futil e interesseira, sem contar que vive nesse mundo de “de ferias com ex” que so se fala em relacionamento como se fosse o centro do mundo. Tive apego fdp por ela, hoje tem uma mistura de nojo de decepção e o afastamento entre eu e minha filha e completamente nocivo pra minha filha ela precisa do pai dela e é apegada em mim. Nao posso negar que fiquei decepcionado com ela, mas o sentimento maior e do apego pela criança, ela é exatamente igual a eu quando era pequeno, é parte da gente. Desculpem pelo logo desabafo, mas precisava soltar isso pra fora. Fica a pergunta, o que devo fazer daqui pra frente em termos legais, pessoais e psicológicos em relação a essa história que me consumiu por dois anos.
Obs1: Ela ja assumiu nas últimas transas que coloca medida como birra porque e o que ela tem pra me atingir. Sem contar que fica sempre me chamando de pai de merda, progenitor. E fica carregando a bandeira de mãe solo que a vida dela é sofrida, mas tem pensão tem renda externa a renda da mae e tudo que ela e minha filha precisar.
Obs2: tenho mãe, irmã, afilhada e sobrinha, filha, tive ex mulher e ex noiva, e essas são meu atestado de sanidade, as testemunhas que sou um ser humano que tem carinho e empatia.
submitted by Rors__chach to desabafos [link] [comments]


2020.06.09 04:18 Flavio_TV Minha mãe foi babaca por dizer que eu perderia o apoio da família inteira por conta de uma escolha minha?

Olá Lubinha (vulgo Lubixxco), Editores, gatas e gatos, presentes e ausentes papelões, inexistentes convidados, turma que está a ver, quarentenados e pessoal do reddit. (Sou nordestino rs) Essa minha história é sobre como quase perdi o apoio da minha família por conta de uma escolha minha considerada “errada” pela minha mãe. Pois bem, essa história é um pouco longa, mas vou tentar resumir o máximo, pois ocorreram muitas coisas nesse período. Foi no começo do ano, eu tinha acabado de sair de um relacionamento e passado por um pequeno “trauma” (coloquei as aspas pois não considero um evento tão traumático, porem me deixou marcas), sofri assedio pelo meu professor de música (posso contar melhor sobre essa história num próximo post). Como minha relação com minha mãe é bastante bacana, ela me ajudou a superar isso. Eu sou um cara que ainda não possui uma definição para a minha orientação sexual, já tive relacionamento com mulheres, porém não com homens e sempre tive a curiosidade de saber como é, pois já senti um certo interesse por isso. Eu tinha um certo interesse por um guri com o nome de Carls que me fazia querer saber como seria (nessa época, já tava namorando). Pouco tempo depois do término do meu namoro, entrei em contato com o Carls que sempre admirei e gostava muito, porém nunca tive coragem de avançar nossa relação (minha orientação sexual sempre foi um tanto que confusa pra mim, porem sempre deixei fluir pra ver no que dava), ele era um cara bastante interessante pra mim, que me deixava fascinado com sua performance. Eu já havia comentado com minha mãe sobre isso (antes de eu namorar), porém ela nunca entendia e sempre ficava confusa sobre esses assuntos. Particularmente, pelo fato dela não saber lidar com isso, ela tem um pequeno preconceito por esse tipo de coisa, ela me disse para ter calma e que talvez não era isso o que queria, fiquei bastante confuso, porem resolvi esperar. Depois de nós termos trocado mensagens, fui contar a minha mãe sobre ele e o que eu realmente queria, imediatamente ela brigou comigo pelo fato de eu ter recém-terminado um relacionamento e já estava querendo partir pra outro, ela ficou extremamente com raiva dizendo que eu devia dar um tempo para pelo menos respeitar o momento, porém eu não via o tal momento para ser respeitado, ela ficou muito nervosa com a situação, ainda mais por eu ter dito que tinha interesse num relacionamento homo afetivo. Então eu disse pra ela “Mas isso é minha vontade, não posso controla-la”, então ela me colocou contra a parede na seguinte frase que me disse “Então você vai ter que escolher entre o apoio da sua família e ele”. De repente fiquei em choque, não consegui responder nada, e logo minha mãe saiu de onde eu estava, fiquei simplesmente sem reação. Poucos minutos, chegou a minha irmã querendo conversar sobre isso, eu disse que não queria, mas logo ela me convenceu. Quando comecei a falar, não consegui segurar as lágrimas e chorei muito (como se meu mundo desabasse), falei tudo que sentia pra minha irmã, que estava extremamente confuso e chateado com ela, como minha irmã está estudando psicologia a conversa ficou muito mais agradável. Como minha irmã percebeu que eu não estava nada bem, ela imediatamente me mandou ir a um psicólogo para tratar desse problema para que ele não generalizasse e futuramente se tornar um trauma (ela não poderia me tratar pois psicólogos não podem tratar parentes e familiares, segundo o que ela disse). No início fui contra pois eu tinha muitos estereótipos de psicólogos achando que só pessoas com depressão que deveriam ir, mas logo me convenci a ir e gostei bastante da terapia (graças a Deux hoje estou muito bem, obrigado por preocupar rs), inclusive recomendo a qualquer um ir a uma terapia pois é simplesmente ótimo a experiência. Logo após estes eventos, minha mãe me pediu desculpas pelo que ela falou e eu sem contestar nada a perdoei, pois não queria nenhuma desavença com a minha mãe. Eu expliquei pro rapaz que conversava sobre o pq de eu não poder mais conversar com ele, ele super entendeu a situação e acabamos por se despedindo um do outro para não ter mais essa confusão (se não tivesse apagado a conversa, teria mandado alguns prints da nossa conversa). Agora fica a pergunta: “Minha mãe foi babaca por dizer que eu perderia o apoio da família inteira por conta de uma escolha minha? ” , Enfim Lubixco e todos que leram, essa é minha historinha, espero que tenham se entretido um pouco e Bjsss =>30. ❤
submitted by Flavio_TV to TurmaFeira [link] [comments]


2020.06.08 03:27 unnaduim o ex que não queria ser ex...

olá luba, possível convidade virtual (respeita a quarentena po), gatas, editores incríveis e turma que talvez esteja me lendo... resumão: namorei com um cara por quase um ano, e um put4 ano pesado pro meu lado, no começo do namoro tava tudo bom e lindo mas com o passar do tempo ele demonstrava ser alguém totalmente controlador em relação a eu ser carinhosa com meus amigos e tratar eles como eu o tratava pq segundo ele isso não o fazia se sentir especial e eu me afastei de amigos meus por > medo< de dá as mesmas brigas e surtos dele pra cima de mim (e ele assumiu isso pra mim quando terminamoskk) e abusivo fisicamente também... quase sempre me forçando a tr4ns4r mesmo com meu "não", ele ficava emburrado e me manipulando com a cara de cu e os papos dele ficar mal com isso e eu trouxa acabava cedendo pq ele ficava mal sobrava pra mim de todo jeito, ambos desgastados e ambos tóxicos um pro outro, terminamos duas vezes, mas eu boboca acreditando no "eu vou mudar" voltei e foi mil vezes pior, até mesmo em dias ruins ele me abandonava pra ficar fora. sim, terminei de novo e dessa vez pra valer, o garoto tava insistente dizendo que não entendia meus motivos pra terminar com ele pelos mesmos motivos se ele era um "bom namorado" kk todo dia mandando mensagem e perguntando se eu tinha certeza daquilo e mesmo com uns mil sim ele choramingava por mensagem, chegou até a dizer "olha o que eu tô fazendo (se humilhando pra mim por mensagem) pra te fazer feliz", chegou a quase vim na minha casa sem eu saber no meio da quarentena mas minha prima dedurou pra mim a ideia doida dele e um tempo depois eu vendo que ele não ia superar e ir pra frente, decidi bloquear, terminou em uma conversa saudável pro meu lado e sem rancor meu por ele, dei block e tô seguindo a minha vida, me curando mentalmente mais uma vez.
Ok agora vamos pro dia do meu aniversário, mês passado uau, chamei um amigo meu pra ficar no telefone comigo já que não podia sair ou vê ele, assistimos um filme legal e ficamos até tarde rindo e conversando, foi bem legal. Ele teve que ir depois de um tempo e nos despedimos, antes ele tinha colocado um print da nossa ligação no status comigo, dizendo que sentia minha falta e essa boiolisse todakkk, um tempo depois ele me enche de áudios e um print no final, o print e era o status desse meu ex falando "aiai esse status me deu vontade de morrer :)" e nos áudios desse meu amigo ele disse: "ei, acho que fiz merda... eu postei o print da nossa ligação né e o * postou isso minutos depois e nossa... eu tô me sentindo um merda mano... // ele postou outra coisa agora, e eu sei que é pra mim, tá tipo "obrigado irmão tu acabou de destruir a minha noite" ele ta postando indireta pra mim mano... eu tô me sentindo culpando" e foi bem aí que eu me estressei, luba eu fiquei mal pq o meu ex sempre disse que nunca gostou desse meu amigo, por sermos íntimos e deixava isso tanto em palavras quanto na cara, sentia raiva disso pq mano ?? qual foi a necessidade disso?? esse foi o meu primeiro presente de aniversário amou? chero na bunda crosfiteira q tu tem <3
submitted by unnaduim to TurmaFeira [link] [comments]


2020.06.07 10:47 guiguizinhu Sou o babaca por dar 100% de mim para minha ex?

Contexto: sou um menino de 15 anos, tenho alguns problemas piscicologicos infelizmente tenho depressão, baixa auto estima entre outros, as vezes tudo pode estar tranquilo mas eu me auto saboto. Esse meu relacionamento durou apenas 08 meses, confesso que foi uma experiência muito ótima! Mas no final estou tendo que fazer piscologo. Certo tudo começou quando eu estudava aqui na escola perto de casa, eu sou uma pessoa fácil de socializar, gosto muito de conversar e deixar todos por perto felizes!, Um grande dia tivemos uma rifa na escola, o prêmio era uma caixa de chocolate!, Enquanto eu estava em uma das mesas esperando um amigo meu veio conversar comigo, nada de mais apenas sentamos juntos e esperamos, quando começa a rifa, descem duas meninas lindas e vem a minha direção, elas sentam na minha frente e ficam me olhando, como eu gosto de socializar eu era um pouco conhecido na escola, elas perguntaram: - você é amigo do Pedro né? Eu apenas respondi sim, começamos a conversar bastante durante a rifa, só que dessas duas meninas uma não parava de me olhar, eu a achava linda!, Ao final da rifa conheci elas e apenas fui pra casa. Algumas semanas depois estava na escola de novo, só que eu estava muito mal, bem mal mesmo, lembra aquela menina que não me parava de me olhar?, Ela me viu e foi correndo falar comigo, perguntou como eu estava e o por quê de eu estar assim triste. Sendo bem sincero nem eu sei direito, com o tempo fomos ficando cada vez mais amigos, e essa amizade durou uns 2 ANOS! sim, bastante tempo. Éramos três amigos, eu, a minha ex, e minha melhor amiga, sempre éramos Juntos. Comprei até alianças de amizade para nós três!. Depois de um tempo eu comecei a olhar a minha ex com outros olhos, fui tentando, e ela sempre me dava um pé na bunda, dizia que éramos apenas amigos e nada mais, eu infelizmente quis insistir, depois de muitos foras eu caí na real. Quando alguns dias, antes do niver dela estava falando com minha minha melhor amiga. Eu estava mal, eu a dizia que não aguentava mais aquilo tudo, então eu tive a brilhante ideia dê, vou tentar uma última vez se não der certo, eu sigo em frente apenas. Eu falei isso a minha bff, ela apoio a ideia, então depois da conversa fui dormir. No dia do aniversário dela, eu estava pronto, quando toca o sinal para ir encontrar ela desci as escadas feliz da vida! Quando me deparo com ela, não parecia bem, parecia que algo a machucou muito. Fui confiante e fiz o pedido de namoro, ela me negou, como já esperado, eu apenas segui em frente, com o coração na mão, pois eu e ela eramos igualmente apegados. Depois de quase um mês, estou andando na escola e vejo a minha ex me olhando chorando muito, me doeu o coração mas fui forte, continue a andar, quando uma amiga em comum me puxa e fala: - Guilherme você vai conversar com a Ludmila (minha ex). Eu falei tudo bem, quando eu chego lá, ela estava chorando muito e me disse que não conseguia ficar sem mim, e naquele momento ela perguntou se eu ainda queria ficar com ela, e se nós poderíamos tentar algo. Meu coração pulou de alegria! Eu super aceitei, nós começamos a namorar em agosto do ano passado. E assim foi. O problema só vem depois, no começo do namoro todo mundo dizia que ela não era uma boa pessoa, que eu não deveria fazer aquilo e tals, eu não liguei, estava loucamente apaixonado por ela. Eu fazia tudo TUDO mesmo pra ela, eu dei mais de 100% na relação, já ela não fazia o mesmo, sempre dizia que não conseguia pois era difícil pra ela, eu apenas aceitava e continuava, com o tempo começamos a ter discuçoes, as vezes eu não estava bem comigo mesmo, eu me acho muito feio, muito mesmo, então eu não ficava muito bem no dia, ela me disse mais ou menos assim: - cara pq você tá triste?, Olha a vida que você tem, olha a mina que você namora, as vezes fico chateada com você por causa disso! Nem parece que me ama. Aquilo me destruiu por dentro, eu apenas aceitei, mas quando cheguei em casa chorei muito muito mesmo, passando um tempo depôs continuamos o relacionamento, foi bom ela me fez vários presentes lindos! (Hoje guardo eles com maior carinho!). Por causa dela me afastei de muitos amigos meus, pessoas próximas muita gente em questão, só tinha eu e ela, ela era bem ciumenta, e esquentada, não sabia medir as palavras nas brigas, eu evitava de falar algo pra ela pois ela ficava frágil caso alguma coisa acontecesse com ela. Uma vez ela esqueceu a nossa aliança, levei numa boa, pois ela tava comigo e não via problema, as vezes acontece mesmo isso, mas quando foi comigo ela quase quis terminar, não olhava na minha cara e nem nada, infelizmente com isso eu só piorava a minha depressão, acabou que no final da relação, ela quis terminar por telefone, e foi horrível, doeu muito. Um tempo pequeno passou e eu estava conversando com a minha bff, e como ela é bff da minha ex tbm, ela sabe de muita coisa!, Quando estávamos conversando, ela me disse uma coisa bem ruim. Lembra quando ela me pediu em namoro? Então, eu me questionei pra minha amiga, será que ela sentia algo por mim alí?, Ela me disse bem séria: - gui, lembra no niver dela?, Ela viu a sua mensagem, e ficou com medo de te perder, ela não queria te namorar, ela só queria a sua amizade, apenas isso. Naquele momento meu mundo desabou, e realmente fazia sentido, eu simplesmente queria morrer ali msm, então, eu comecei a fazer terapia entre outras coisas.
GENTE, essa foi a minha história! Espero que gostem, confesso que caíram algumas lágrimas de lembranças aqui, mas, tem mais algumas coisas que aconteceram dps disso tudo!, Possívelmente está bem grande já o texto. E então eu fui o babaca?
submitted by guiguizinhu to TurmaFeira [link] [comments]


2020.06.07 09:27 _100criatividade_ Stalker Homofóbica

Olá Luba, gatas, editores, papelões já não vivos e turma que tais a ver, lhes contarei uma história que aconteceu comigo no ano passado (no 9° ano) sou de Minas, sinta-se a vontade para fazer o sotaque kkk.
Uma guria estava gostando de mim, ela havia se declarado, mas como sou gay e tenho um namorado (ninguém além de treix amigos sabiam disso, afinal, meus pais são extremamente religiosos e me fazem agir como "macho", mas enfim) eu disse que não gostava dela da mesma forma, ela não aceitou muito bem minhas palavras de rejeição e até falou que, se eu desse uma chance a esse relacionamento, talvez eu veria que gosto dela, continuei dizendo que eu realmente não gostava dela e que só a via como amiga, mas ela continuava insistindo. Um belo dia, quando eu estava no pátio da escola com meus amigos, ela chegou com duas amigas e começou a dizer que eu era o namorado dela e que naquele dia, iríamos completar 2 meses de namoro (só conheço a guria à 3 semanas), as amigas dela começaram a me perguntar sobre o que eu iria dar de presente a ela, meu namorado que estava no grupinho me olhou com raiva e foi embora dali, três aulas depois bateu o sinal e todos saímos da escola, esperei meu namorado na frente da escola para irmos embora como sempre, esperei, esperei, esperei, e nada dele chegar, perguntei pra uma menina da sala dele (éramos de salas diferentes) se ela havia visto ele, ela me disse que ele já tinha ido embora fazia tempo, achei estranho aquilo mas resolvi seguir meu caminho, desci a rua da escola e percebi que tinha alguém atrás de mim, e isso era estranho já que aquela rua era pouco movimentada, ainda mais naquele horário, continuei a andar, olhei para trás algumas vezes durante o percurso mas nunca via ninguém, quando cheguei em casa, subi pro meu quarto e olhei pela fresta da janela pra ver se tinha alguém e lá estava a guria, voltando pela rua que eu vim, de tarde recebi uma carta que provavelmente era dela, nela dizia que ela amou o ursinho que eu tinha dado a ela (???) e que até tirou umas fotos pra colocar nos stts, joguei a carta fora e peguei meu celular para falar com meu namorado, ele disse que tava ocupado e que não podia falar, resolvi ir dormir então, durante duas semanas aquela guria ficou me enviando cartas e juras de amor, meu namorado ficou me evitando durante todo esse período, até que eu cansei e fui falar com ele sobre a guria chata, expliquei que eu não tinha nada com ela e que ela era problemática, ele, como o homem da minha vida, disse que entendia e que não iria mais me evitar, fiquei feliz por ele entender tudo, fomos embora juntos até chegar na minha casa, no outro dia fui falar com a menina e dizer que ela para ela parar de me mandar cartas e presentes, porque eu era gay e tinha um namorado, ela me olhou torto e saiu, bateu o sinal pra ir embora, tive que ir sozinho pois meu namorado tinha consulta no dentista, porém não tão sozinho já que a menina estava logo atrás de mim e dessa vez ela não se escondia nem nada, até que depois de certo tempo ela começou a me chamar de viado, gayzinho de merda, chupa rola do caralho e falar que eu deveria morrer, fui todo o percurso até minha casa sendo xingado por ela, a guria começou a me mandar cartas, dessa vez me xingando, falei pro meu namorado e ele disse que falaria com ela, não sei o que ele falou, mas sei que do nada ela parou de me seguir, de mandar cartas e até de me olhar torto, hoje eu e meu namorado completamos 4 anos de namoro, aquela guria sumiu do mapa, nunca mais a vi e espero que continue assim.
E foi isso Luba, Beijos =30
submitted by _100criatividade_ to TurmaFeira [link] [comments]


2020.06.06 18:57 Jay_pedd Fui Babaca ao "Cabuetar" a Traição da Minha Melhor Amiga para o Namorado Dela?

Olá Luba, Editores, Possível não convidado, E todas as pessoas que estão assistindo a este lindo vídeo.
Preparem-se para a novela mexicana do século:
A história é basicamente a seguinte: Jubileu (meu amigo) gostava da minha melhor amiga a Jubileia, só que ela não gostava dele. Ele se declarou, foi rejeitado e ficou por isso mesmo, mas meses se passaram e por algum milagre do destino ela começou a gostar dele e o pediu em namoro numa saída que tivemos. Mas mal sabíamos que depois desse dia o caos reinaria no nosso grupo de amigos. Nos primeiros dias o namoro deles estavam indo até que bem (mesmo depois do pedido de namoro ela ter ficado uns dias sem dar sinal de vida pra ele, umas duas semanas mais ou menos. Mas tudo realmente começou quando uma parte dos nossos amigos resolveu sair pra dá um rolê na praia e beber depois das provas que aconteceriam no dia. Iríamos ser liberados mais cedo então a maioria do grupo resolveu ir (inclusive eu, mesmo sabendo que não beberia), e o único que não pôde foi o Jubileu.
Eu fui, pois eu não tinha nada para fazer no dia, e também pq eu não confiava muito na Jubileia sozinha bêbada por acontecimentos que presenciei no passado (talvez, se eu não tivesse ido, a situação toda teria sido muito pior) Estávamos em 4, fomos para praia logo depois das provas, andamos muito até chegar lá. No meio do caminho um outro amigo nosso tinha comprado umas bebidas e assim sentamos num canto escondido da praia. Ficamos por lá e nisso as coisas começaram a ficar piores, eles começaram a beber só que de uma forma muito rápida. Não demorou muito para que minha melhor amiga ficasse bêbada junto com uma outra amiga nossa que estava lá, uma das melhores amigas do Jubileu (vou chama-la de Karen) De uma hora para a outra, ambas as bêbadas começaram a ficar com um fogo no rabo inacreditável e se beijaram, foi algo rápido mas não era certo. Eu até tentei impedir mas eu não consegui. Nisso foi de mal a pior, eles começaram dançar, eu tava com o celular da Karen, quando aleatoriamente eles quiseram enviar áudio para o nosso amigo Jubileu que não pôde ir no rolê, eu achei que seria algo divertido então eu permiti (mas uma coisa eu digo, NUNCA deixem bêbados com celulares). Eles começaram a mandar, mas a situação foi ficando complicada, pq a Jubileia começou a falar coisas um tanto desagradáveis e desnecessárias que machucariam o Jubileu. Então tomei o celular das mãos deles, mandei os áudios pra minha conversa e as excluí do PV dele pois ainda não tinha sido visualizado.
Bom, depois disso Karen começou a se pegar forte com o outro amigo que estava lá presente ( "se pegar forte" é um baita de um eufemismo) e a Jubileia queria entrar no meio pra participar também mas eu não deixei, (Jubileu já podia ter galhos de chifre mas não vamo fazer ele crescer mais ne). Resumindo: ela quase tentou me beijar, mas consegui desviar o assunto e fiz ela ficar deitada no meu ombro enquanto ela falava coisas e acabava chorando. O outro garoto que estava conosco perdeu seu óculos literalmente novo quando ele foi dar um banho de mar na Karen (que estava totalmente bêbada) pra acorda-lá, saí com uma mordida no braço que ficou inchado e roxo por não deixar mais ela se pegar com o cara, até pq ele não tava no clima (nem eu estaria mais no clima depois de perder meu óculos que tinha ganhado a poucos dias e com Jubileu corno). Cheguei em casa acabada e não sabia o que fazer, tinha os áudios e a situação que tinha acontecido não saia de minha mente. No fim não aguentei, eu não sabia como olharia na cara dele de novo se não contasse isso (saber da traição de uma pessoa que tá do seu lado todo dia e não contar pra ela é foda) e acabei contando tudo pra ele e mostrando os áudios, logo depois de contar recebi uma mensagem da Jubileia dizendo pra mim não contar, disse pra ela que já havia contado e ela disse que seria culpa minha se o namoro dela acabasse, só que o timing foi muito merda pois nesse percurso de tempo que ela me mandou isso, o Jubileu tava mandando mensagens pra ela por conta do ocorrido (conversa abaixo). Fora que no dia seguinte, ainda teria aula. Ficou um clima de merda no nosso grupo de amigos, pois meu Jubileu tinha sido chifrado pela a sua namorada (agora ex) Jubileia em menos de um mês de namoro junto com Karen, a melhor amiga dele, que por sinal ficou do lado da Jubileia e não dele. O clima do grupo ficou uma merda, tava todo mundo separado. Uma galera tava com ela enquanto umas outras pessoas tava com ele (inclusive eu pois ela não queria olhar na minha cara e eu não tinha coragem de olhar na dela) e ficou assim por um tempo até a poeira abaixar.
ps: se passou um tempo do término deles e descobrimos em outra saída que tivemos (de bebida por sinal) que ela estava com ele por pura carência e não gostava dele de verdade. Eu dnv contei pra ele, pois a Jubileia havia terminado com ele sem nenhuma explicação (sim, msm depois tudo isso, foi ela quem terminou o relacionamento), e eu sentia que ele merecia uma então acabei contando mesmo estando receosa com a situação. (Já tava tudo uma merda mesmo, o que é um peido pra quem tá cagado) Ele por sua vez ficou putasso por ela tê-lo feito de trouxa e mandou para ela o conteúdo dos prints em anexo.
Conversa por Whatapp transcrita do Jubileu e Jubileia essa treta:
Jubileia: Vou dormir Jubileia: Boa noite Jubileu: N Jubileu: Vou te falar uma coisa Jubileu: Eu ouvi muita coisa q n queria ouvir, mas sinceramente eu ja me importei mais. Só q o q mais fode com tudo é n ter ouvido de ti Jubileu: Era só isso q eu queria Jubileia: Eu preciso realmente dormir agora Jubileu: N faz mais merda, é a última coisa q eu te peço. N quero ficar perto de ti, pq sempre q fiz isso eu me machuquei. Se tiver um pingo de consideração por mim, o que é difícil, só vai pra longe da minha vista, pq eu n sei se tu sabe, mas a sensação que eu tenho ao te ver é horrível, me sinto horrível e isso é uma tortura, uma tortura imensa pra mim. Eu te odeio, e me odeio acima de tudo, e desde aquele dia eu só venho piorando, se acha q é a única q tá na merda, tá enganada. Obrigado por começar isso Jubileu: E a **** -narradora- n tem culpa de nada, vai ser muita covardia da tua parte se vc acabar com a amizade por isso, pq ao contrário dos seus conceitos conturbados, ela realmente se importa contigo
E aí luva, fui a babaca da história por ter contado ao meu amigo chifrudo o trágico acontecimento do dia da praia?
View Poll
submitted by Jay_pedd to TurmaFeira [link] [comments]


2020.06.06 06:36 ladyzinhah Ele era psicopata!

Olá Lubixco, olá galera e todos os seres! Segue-se minha história de trouxa com um cara abusivo possivelmente psicopata:
No ano passado, conheci um cara muito chato. Ele me irritava muito, é sério. Por conta do nosso círculo de amizade ser o mesmo, tive que aturar essa desgraça e acabar conhecendo ele melhor. Acabou que ficamos amigos depois de um tempo e a partir disso eu fiquei confusa, porque comecei a gostar dele. Para minha surpresa, ele também gostava de mim e só agia como um idiota porque queria chamar atenção. Começamos a conversar pelo WhatsApp (foi por lá que ele se declarou para mim) e eu planejava conhecer mais ele por lá. Maaas, ele disse que eu não dava atenção para ele e que achava que eu não gostava realmente dele e por isso pediu que eu provasse a ele o contrário: me pediu para ficarmos. O problema era que eu era bv e não estava preparada para aquilo, visto que queria conhecê-lo antes de sair beijando ele, para que se eu visse que não dava, previnir de ficarmos desconfortáveis depois. No entanto, com medo de perder ele, eu aceitei ficar. Nesse dia, ele estava com medo de me beijar, então tive que tomar coragem e investir primeiro. Passamos meses nos conhecendo, mas tudo piorou quando convidei ele para andar comigo e com meus amigos. Ele era grosso com minhas amigas, ficava super irritado quando mencionava meus amigos; não me deixava ficar com elas porque dizia que eu o estava ignorando e começou a fazer bullying com elas. Mas não parou por aí. Ele começou a me “testar”, fingir que estava com outra para ver como eu reagiria - detalhe: fiquei muito irritada com tudo isso e parei de falar com ele. Ele pediu desculpas e a otária aqui perdoou. Como se não bastasse, começou a brigar comigo por coisas pequenas; quando eu dizia que ficava desconfortável de ser cheia de presentes, ele ignorava e me enchia deles; ficava bravo quando alguém me chamava e ele estava falando, dizendo que eu o ignorava; jogava meus amigos contra mim e etc. Me pedia em namoro, mas visto que eu só poderia namorar depois dos 18, recusava e ele parecia entender, mas continuava insistindo. Por esse motivo, só ficávamos sério, não namorávamos, embora todos constatarem que sim. Ele dizia que me amava, que se eu o deixasse isso acabaria com a vida dele e que eu era a prioridade número um da vida dele. Eu me sentia pressionada assim, porque ele me dizia que quase entrou em depressão por umas coisas aí. Então eu me sentia responsável por ele e qualquer que fosse a coisa que acontecesse com ele. Ele não me deixava passar um dia sequer para me divertir, eu sempre deveria conversar com ele! Eu não estava aguentando mais; não gostava mais dele, nosso relacionamento estava saturado, ele ficava explosivo quando eu não estava afim de ficar, e isso fazia com que eu me culpasse e ficasse com ele. Fui aguentando tudo por muito tempo até que eu me esgotei e terminei com ele no dia seguinte. Ele não aceitou de primeira, ficou bravo e me mandava bilhetes no meio das aulas, pedindo para conversar. Ele tinha direito de conversa, então eu deixava que ele falasse, mas eu negava sempre sua tentativa de volta. Um dia, me pediu para ser meu amigo e eu aceitei ( não negava pedidos de amizade para ninguém), mas sempre assegurando de que não queria mais nada. No entanto, ele me mandava cantadas e tal, eu ficava desconfortável. Após ver que eu não queria nada mesmo - definitivamente!-, ele ficou muito, muito histérico. No dia da palestra, quando estávamos voltando para a sala com nossas cadeiras, ele literalmente jogou a dele em mim! Como se não bastasse, me abraçou sem minha permissão! No fim da aula, me barrou e disse “ eu aceito o término, espero que você seja feliz”, eu aceitei seu pedido de desculpas. Mas essa naturalidade não durou muito, após eu negar seu pedido de um abraço, ele literalmente me bateu na cabeça! Nesse momento, saí correndo de lá - já que estava no fim da aula, só nós na sala e sabe-se lá o que ele faria comigo! No dia seguinte, nenhum de meus amigos queria falar comigo. Descobri, semanas depois, por um deles que o Carlinhos - chamarei assim para não expor aquele filhote de cruz credo- tinha dito para eles que eu não gostava de caras brasileiros, que eu gostava de gringos apenas! Que desculpa foi essa? Me chamar de xenófobica? Ele era e ,ainda é, um louco! Agora fica me olhando de cara feia e me stalkeando na Otanix. Meses atrás, me chamou no amino, com a maior cara de pau, e disse que faria um massacre na minha escola e não me salvaria. Fiquei em dúvida se era uma piada ou se ele estava falando sério, levando em conta que ele é um desequilibrado.
Que livramento! Fui idiota de aguentar tudo aquilo por um longo tempo... Isso me serviu de lição e vou garantir que não aconteça mais. Bjinhos, menor que trêix. Obs: sou mineira, se quiser fazer sotaque^
submitted by ladyzinhah to TurmaFeira [link] [comments]


2020.06.06 04:37 ruxou o jogo virou

Oi Luba e Turma, entao em 2018 conheci uma menina, começamos a cvs e tal e no final os dois estavam "apaixonados" mas nunca nos beijamos. Ela dizia q n queria ficar cmg porque tinha medo de estragar a amizade, eu muito iludido sempre dizia "eu vou esperar ate voce estar pronta". Ate que em janeiro do ano passado ela "terminou" cmg, sendo q tecnicamente n tinhamos nd, eu viajei e comprei um presente pra ela e na semana seguinte ela ficou com outro cara ;) Ficamos sem nos falar até outubro onde teve um acampamento, eu senti q ela queria se aproximar dnv ent voltamos a cvs. Mas eu ja n sentia a msm coisa por ela e ate ent n sabia quais eram as intenções dela. Ficamos cvs como bons amigos q sempre fomos ate q no hallowen fiquei com outra menina, e dps ficamos mais. E minha amiga ficou com raiva ???? e disse q eu n teria q escolher entre as duas pq ela faria isso por mim, ent ela decidiu se afastar dnv. Hj namoro a menina q fiquei no hallowen. É isso.
submitted by ruxou to TurmaFeira [link] [comments]


2020.06.06 03:12 ricmontwd Novela da Globo sem roteiro

Eai luba, editores, tuxo seu gostos.... Enfim kk Vou contar uma história que sla, tá na hora de sair da mente.
Para eu contar a história, preciso moldar o contexto e a razão de eu ter feito o que eu fiz, tudo começou por volta de 2015, aonde eu gostava de uma garota da igreja que eu frequentava, ela passava a entender que tudo o que eu sentia era recíproco da parte dela, nós conversamos por meses e marcamos de ficar, mas ela nunca aparecia, foi quando aconteceu uma convenção de jovens da igreja, um amigo meu que morava longe para um caramba, chamado Zarls, iria me ver nesse evento, mal eu sabia que quando eu virasse as costas, o lazarento estaria beijando a garota que eu tava gostando, e tipo, os dois tinham combinado isso, o plano era ela se aproximar de mim, para esperar essa ocasião em específico para eles ficarem. Tá, levei uns 3 anos para me acostumar e pá, foi quando conheci um menino na internet e seu melhor amigo, Carls e Brals, não sei o que deu em mim que eu me apaixonei por Carls em menos de 1 mês, e sentia algo por Brals também(guarda isso), até aí tudo bem, descobri que Carls estava afim de mim, minha mente foi "Puts, tu gosta dele, ele gosta de tu, investe Caraí" então me joguei de cabeça. Alguns meses se passam, Carls estava mais afastado de mim, e passava muito tempo conversando com Brals, papo de ficar até 5 horas da manhã em uma call no discord, quando conversavam desde as 17 horas, foi quando lembrei do que tinha acontecido alguns anos antes, e me deu medo de perder Carls para o melhor amigo, medo dele estar gostando e sla, marcando de ficar com ele. Foi quando resolvi terminar o namoro, Carls começou a chorar do nada, e disse que me amava, que conversava com Brals coisas sobre mim, que queria saber como poderia me dar um presente de namoro (estávamos quase completando um ano) eu fiquei mal na hora, pedi desculpas, expliquei a ele o que tinha acontecido comigo e meu medo, ele simplesmente me bloqueou e me esqueceu, dois dias depois, surgiu a notícia que Brals e ele estavam namorando. Fiquei na pior mais uma vez, porém, fiz algo que não me arrependo quanto a isso, se lembra que eu disse que sentia algo por Brals? Então, comecei a conversar com Brals, falei com ele sobre o que tinha acontecido e nos primeiros meses ele não me deu bola, estava aproveitando o momento com Carls, que por sua vez, disse as piores coisas sobre mim, até que um dia, ele resolve me ouvir, ele conversou com Carls sobre nossa conversa e o mesmo só terminou o namoro dos dois sem mais nem menos, foi quando eu me aproximei de Brals e ficamos namorando por 5 meses, terminamos no final do ano passado.
Eu fui o babaca por terminar o namoro e praticamente esperar o momento certo para ficar com Brals ?
submitted by ricmontwd to TurmaFeira [link] [comments]


2020.05.27 08:01 jotaporque primeiro amor verdadeiro, namorada, e relação sexual...

Meus caros, venho aqui na tentativa de não chorar contar brevemente o que estou passando.
Eu namorei uma garota por 1 ano e 3 meses, sendo que somente 7 meses depois de nos conhecermos ela falou para os pais, ela sempre quis manter isso discreto durante esse tempo, nao podíamos segurar muito a mão na rua, ficar em lugares muito abertos, eu só via ela uma vez por semana e as vezes nem isso, pois sempre que os país saiam ou ela tinha um compromisso ela ia e eu ficava só, a nao ser em uma festinha, quermesse, etc. Porém detalhe, ela só contou para os pais dela após ela terminar comigo dizendo que nao era uma pessoa pra namorar, mas mesmo assim me amava, e 1 semana depois veio atras de mim pedindo pra voltar alegando que nao via a sua vida sem mim, etc, obviamente eu apaixonado, voltei e namoramos "normalmente" após isso; ao mesmo tempo quero ressaltar que eu fui bastante insistente neste tempo pedindo para ela contar para os pais, eu coloquei um pouco de pressao, estava doido pra namorar de verdade com ela, não fiz por mal.
Sempre fui romântico clichê, fofo, um toque de melosidade, e eloquente no modo de tratá-la, havia um brilho nos meus olhos quando olhava, porém eu nunca vi o mesmo brilho em seus olhos, tenho a impressao de que ela nao conseguia nem olhar por 1 mimuto em mim sem desviar o olhar. Ela desde o começo falava para eu não fazer dela o meu mundo, porém eu fiz, pois ela sofria com baixa autoestima, inseguranças, medo, e eu sempre apoiei (durante aqueles 7 meses) e dei 100% de mim à ela.
Enfim, depois do primeiro término eu percebi que ela era uma pessoa extremamente orgulhosa ao ponto de as vezes só pedir desculpas quando eu pedia também, nao somente isso como eu tinha que pedir pra ela dar desculpas também. Percebi que ela não me priorizava quanto eu priorizava ela, eu nunca deixei de ficar uma semana por compromisso ou rolê meu, até com meus pais eu chegava a desmarcar, que numa discussão ela quando ficava estressada simplesmente sumia e me deixava de mãos abanando querendo resolver o problema, até eu pedir desculpas, e no maximo se eu desse gelo ela falava "vai ficar por isso mesmo?". Percebi que ela menozpresava meus sonhos, e que em quase todas as situações acima ela falava uma das 3 coisas como justificativa, que eu estava impondo e ela nao gostava disso, que eu estava jogando na cara erros do passado, e erros em geral, e que eu estava querendo mandar ou mudar ela, e falava "esse é o meu jeito".
E é ai que começei a pedir para ela mudar (na verdade até antes pedia mas nao era tanto motivo de briga assim, enfim, daí o motivo das brigas), e ela mudou do começo para este ponto, pois começou a fazer o mínimo, que seria demonstrar, mas ainda sim pedia pra ela ser mais recíproca, pra ela me escutar mais, me respeitar mais (houve uma vez que ela falou na minha cara que nao se sentia protegida por mim), pra ela me priorizar mais, pra ela parar de ser orgulhosa, enfim eu forcei a barra nesses quesitos, mas era por que eu me sentia infeliz com as atitudes dela em relação à mim, e como eu amava muito ela e estava apaixonado sentindo uma coisa indescritível, uma paz, não queria perder ela. Quero ressaltar que depois de todas as brigas, conversávamos pessoalmente, e ela chorava e dizia que iria mudar e que nao queria me perder, que me amava e me abraçava, isso quando estavamos a ponto de terminar, dizia que ia mudar, mas não mudava, eu acho que sou muito exigente tambem, não sei ao certo em o quê acreditar.
Eu fiz erros sim, fui realmente mandão, abusivo, chantageador e joguei na cara algumas vezes, fiz mal algumas vezes, mas eu sempre fui bom, toda vez que ia na casa dela eu levava uma florzinha, talvez um chocolate, fazia uma declaração, demonstrava querer ver ela toda semana, todo dia, perguntava do dia, dos planos, eu literalmente caçava ela. Portanto acho que meus erros foram, idealizar, amar e querer ser amado e cobrar demais, assim me demonstrei frágil, desgastei, cansei.
Bom para finalizar a ópera, eu não sei como terminar, só sei dizer que têm 2 meses que terminamos, ela fazia coisas por mim também, mas só em datas comemorativas como mês-versario de namoro, meu aniversário, ou quando fomos a praia juntos. Eu não sei em o que acreditar, se ela me amou, ou nao amou tanto que eu pensei, ou não me amou de verdade.
O termino ocorreu de forma muito ruim, 2 semanas antes do término tinhamos ficados 2 semanas sem se ver, por que ela ia em uma festa com a familia e uma formatura, e eu na minha rotina, numa terça tive que dar um puta corre para podermos se ver, comprei vinho barato, foi um super dia legal. Porém depois eu iniciei a discussão, sobre ficar 2 semanas sem se ver, que a minha rotina é apertada, propus nos vermos de semana, e o fim de semana ela tava livre pra ir com os pais (o que custava me chamar para ir junto? ou não ir uma vez ou outra? formaturau até entendo, pois era do melhor amigo dela), ela resistiu como sempre, falou e falei coisas que não lembro, só lembro que ficamos 2 dias discutindo e inclusive fizemos 1 ano e 3 meses discutindo, e ela falou "olha essa discussao tá apontando pra uma coisa e você sabe qual é", e eu lembro que prometi pra mim mesmo que a próxima vez que ela me ameaçasse de término ou que chegasse num ponto de quase, que eu iria terminar, dito e feito, terminei alegando nossas diferenças como principal ponto.
3 dias depois ela tentou voltar comigo falando para mudar por definitivo, eu falei que deveriamos esperar para o "dia da conversa" para decidir nosso futuro, porém numa terça ela me chama e fala que quer decidir já, eu falei que achava melhor continuar assim, entre outras coisas, ela nem relutou, não falou nada, só falou "concordo contigo". O ponto é que uns 3 dias depois eu mudei minha opinião e tentei voltar, ela falou que não, que não quer mudar, que nao queria passar por tudo aquilo de novo, tentamos manter contato depois disso mas só lembro que falamos coisas muito ruins uns para os outros, inclusive ela falou que eu destrui o pscioclogico dela com proibições (sendo que eu nunca proibi de nada), cobranças (okay, isso talvez mas eram coisas tão simples, eu acho), e comentários (eu nunca falei mal dela, nem de qualquer modo no relacionamento), e eventualmente paramos de nos falar em questão de 1 semana e meia. Foi quando eu descobri que 2 semanas após o término ela já estava falando de namoro com uma pessoa numa rede social (eu tinha bloqueado ela), e que inclusive postou seu número de celular no meio da rede social, fiquei insano e descarreguei muito ódio e energia ruim nela, mas não xinguei, e também pedi todos os presentes que dei pra ela de volta, até de aniversário, a aliança, o potinho com coisas fofas, uma meia, tudo, peguei todas as roupas que ela me deu e devolvi também. Enfim ela me bloqueou, peguei as coisas de volta, coloquei em um saco as coisas que eu dei pra ela e as coisas que ela me deu (potinho, desenho meu, etc) e martelei tudo e postei em um status. Após isso me senti muito mal, pedi desculpas à ela, e até agora nao nos falamos mais, inclusive estou até namorando uma menina nova, pois já que ela estava com papo torto, eu também decidi estar, e o meu deu certo aparentemente, mas não 2 semanas depois.
Desculpem o texto longo, mas eu não sei o que sentir, ao mesmo tempo me sinto culpado por ter desgastado ela pedindo, manipulado (por sexo, o qual nos dávamos muito bem, e mentalmente), não amado, que vivi uma mentira, remorso, ódio, amor, perdão, hipócrita, sujo, que coloquei muita expectativa, que na verdade estava tudo bem e eu estava problematizando e reclamando de tudo, eu só queria a mesma intensidade que eu estava tratando ela.
Eu não sou uma pessoa ruim, sempre tentei ser a melhor versão de mim, me deixa muito mal ver que tive determinada reaçao, atitude, não quero ser odiado pela pessoa que mais amei, só queria ser feliz. Mas ao mesmo tempo fico mal de ver que fui tratado mal e não recebi o que eu merecia.
Eu estava tão apaixonado, e eu simplesmente nunca consegui saber ao certo se ela também estava da mesma forma com o fogo dentro de si, levando a sério o namoro e pensando junto comigo, talvez por puro orgulho, mas nem isso eu tenho como saber direito pois aparentemente ela não se conhece tão bem quanto eu a conheço.
Quero poder um dia chamar ela na praça, e simplesmente dar, e receber o perdão, deixar as coisas bem resolvidas, talvez, tentar de novo com uma cabeça mais madura, um abraço reconfortante, um beijo longo, um olhar fixo, sem ódio ou amargura, nunca fui de fazer mal à alguém.
De uma coisa eu tenho certeza, eu senti, todos os sentimentos possíveis com alguém, um caminhão de sensações passou por mim, não sei se foi a mesma coisa com ela.
Quem leu até aqui muito obrigado, eu sou novo no reddit e ao escrever esse texto eu estou melhor, coloquei um pouco meus pensamentos e indagações em ordem.
submitted by jotaporque to desabafos [link] [comments]


2020.04.27 22:47 shinytrash_92 Eu sou um peso na vida do meu marido

Ensaiei esse post por horas. Escrevi, apaguei, fui tomar banho, reescrevi, editei e não postei. Criei uma conta alternativa e reescrevi uma última vez para conseguir postar e não ser rastreada, pois o que estou prestes a falar é humilhante demais para sequer imaginar que alguém que eu conheça esteja lendo, principalmente meu marido. Mas, a verdade é que sou um peso na vida dele, e pior: covarde demais para me separar e deixar que ele prospere sozinho.
Contexto: estamos juntos há 14 anos, sendo 4 de casamento e 10 de namoro. Nos conhecemos super novos, ainda no cursinho. Eu era uma menina bonitinha, magrinha e pequena, com alguns hobbies e planos pela frente, mas, já fazendo tudo com uma certa dificuldade, principalmente por conta de um background com família e emocional bem instáveis. Ele era um cara super inteligente, já falava 3 línguas, tinha morado fora e vinha de uma família rica e equilibrada. Logo passou em medicina, numa faculdade pública, enquanto eu perdi mais uns anos no cursinho pra passar em um curso meio bosta numa particular.
Quero deixar claro que essas visões são minhas: Ele jamais me subestimou por ser mais rico, mais inteligente ou ter feito uma faculdade melhor que a minha. Eu que fui desenvolvendo esse olhar conforme fui percebendo que, enquanto eu sofria para estudar e precisava de ajuda dele com trabalhos e exercícios, ele ia fazendo a faculdade dele e a minha também, por tabela. Não estou exagerando: ele desistiu de matérias para me ajudar com o meu curso. Virou noites fazendo exercícios e estudando comigo. Quando casamos e veio a residência, onde mal conseguíamos nos ver, me afundei em uma depressão profunda. A casa estava sempre uma zona, pois eu não conseguia cumprir com as tarefas domésticas (que eram minha responsabilidade, uma vez que ele tinha me ajudado com a faculdade e agora precisava de ajuda para terminar a dele). Não sei explicar, não tenho energia. Não é como se eu passasse o dia fazendo outras coisas, eu passava o dia na cama olhando pro teto. Nem séries eu tinha vontade de ver. De quebra Engordei 40kg e tive muita dificuldade com o meu TCC. Sinto que ele vem me carregando desde então.
Se antes eu sentia que não bastava por ser esse saco de lixo burro e inútil, agora eu também estou gorda e horrorosa. Nem esse, que era o papel mais basal de uma esposa - o de ser bonita - eu consigo mais cumprir. Nossa vida sexual também foi embora - e não por culpa dele, mas, por culpa minha! Ele insistia para fazermos amor, mas, eu tinha vergonha demais do meu corpo e fui recusando, até ele parar de pedir. Esse ano, se transamos 3x foi muito.
Obviamente que não é só isso. Para o pacote ser bem completo, além de burra, inútil e gorda, eu também sou uma pessoa difícil de lidar. Briguei e cortei relações com muita gente próxima dele. Vários amigos dele não gostam de mim, o irmão dele me odeia, as tias dele também. Sei que os pais dele são corteses, mas que também prefeririam que ele estivesse solteiro. Eu tenho surtos de raiva, provavelmente relacionados com o meu background familiar, e sempre acabo com as minhas relações pessoais. Ele é praticamente a única pessoa que restou. Mesmo minha amiga mais próxima, a única que conservei da faculdade, sinto que só gosta de mim por que quer estar próxima dele também.
A gota d'água foi recentemente ter sido mandada embora da empresa em que eu trabalhava, que, por conta do COVID decidiu só manter os funcionários essenciais. Obviamente que eu não sou essencial e fui afastada. Agora, além de gorda, inútil e burra, também sou financeiramente dependente dele. Nem o salário terrivelmente baixo que eu recebia eu tenho mais para ajudar com as despesas (que eu mesma gero).
Ele, sempre paciente, diz que está tudo bem. Diz que segura as pontas, para eu aproveitar esse tempo e procurar um curso online e me relançar no mercado quando a quarentena acabar. Ele banca. E essas palavras me cortam por dentro, porque com que cara eu vou falar pra ele que não tem absolutamente nada que eu queira fazer? Que quando eu acordo de manhã, o simples pensamento de levantar da cama me faz querer morrer? Que o ponto alto do meu dia é quando eu vou dormir e passar horas desacordada??? Eu não tenho mais energia, minha cabeça dói o tempo todo, preciso fazer pausas enquanto faço as tarefas domésticas ou não consigo continuar. Não posso falar nada disso pra ele pois ele já perdeu tempo demais lidando com a minha bullshit no passado e tem uma fucking pandemia acontecendo no país, que é muito mais urgente.
Eu só queria poder retribuir um milésimo de tudo o que ele fez por mim. Eu só queria não ser um peso na vida do homem que eu amo.
Eu vejo essas esposas modelo e me sinto tão absolutamente aquém. Eu só queria conseguir fazer coisas simples, sabe? Basicas. Não precisa ser nada de grandioso no começo. Pintar minhas unhas, por exemplo, essas mulheres sempre tem unhas tão compridas e bonitas... Mas, nem isso eu consigo fazer. As minhas são roídas e horrorosas.
Queria poder receber ele em casa com um jantar balanceado e saudável todos os dias. Mas, não consigo manter minha dieta nem por 2 dias consecutivos.
Queria manter a rotina de limpeza da casa, passar roupa, cuidar dele como ele sempre cuidou de mim. Mas não consigo manter, me desinteresso, passo um dia na cama e os outros já estão perdidos depois.
O fato é que estou cansada de tentar e fracassar toda vez. Devo ter algum problema psicológico ou um retardo mental que me impede de fazer melhor.
Eu já pensei diversas vezes em deixá-lo, porque, certamente ele conseguirá me substituir por alguém melhor, mais atenciosa, mais presente. Alguém que não seja um atraso. Sei inclusive de mulheres do hospital em que ele trabalha dando em cima dele. Eu fico brava e com ciúmes, mas, ao mesmo tempo sou tão insuficiente que penso: será melhor não deixar acontecer?
Mas, a verdade é que sem ele eu perderia a única coisa que fiz certo na minha vida. Eu nem teria pra onde ir pois não tenho família nem dinheiro. Estaria literalmente na rua. Que patético, né? Em pleno século 21, depois de tantos direitos conquistados por mulheres que vieram antes de mim, meu maior feito na vida foi ter casado com um homem bom... E não merecê-lo. Não consegui conquistar nada por mim mesma.
Se eu tivesse vergonha na cara daria um fim nessa vida miserável e parava de ser um peso morto (rsrs sacaram? é pq eu sou gorda também)
submitted by shinytrash_92 to desabafos [link] [comments]


2020.03.27 20:54 marii7261 Estou começando um relacionamento com um cara e isso me dá medo

Estou saindo com um cara tem um mês mais ou menos. Ele é super legal e tamos nos dando super bem. Parece que já somos amigos de anos, ele é super romântico (e eu adoro isso) e respeitoso.
Acontece que eu tô numa fase de vida que tô cuidando de meu filho pequeno de 4 anos (sou separada) e trabalho muito. Sinceramente, não me imaginaria estar em um relacionamento por agora.. não sei se a fase que eu tô condiz com isso
Também, já tive alguns relacionamentos longos que me deixaram muito abalada mesmo. Eu estou super bem por esses anos que tô solteira, e tenho muito medo de ficar mal de novo.
Mas eu tenho gostado demais dele e cogitado ter algo sério. Já ele, já disse estar apaixonado, que quer me apresentar pra família amigos etc. Sinto que pode pedir em namoro em breve.
Mas eu tô com medo. Preciso de mais tempo. Também não quero me prender demais e acabar magoando ele que é uma pessoa muito boa. Eu já magoei muito uma pessoa no passado por não conseguir corresponder ao sentimento dele e isso me corroi muito.
Também não sei se ele parou pra pensar que com o fato de eu ter filho pequeno, minha relação com ele nunca vai ser 100% normal. Não vou poder fazer viagem longa com ele, nem estar presente sempre, pois meu filho sempre será minha prioridade. Tenho medo de assumirmos um namoro e quando ele ver esse lado, desistir.
Só sei que estou confusa e isso me impede de me entregar mesmo nesse relacionamento....
Sei que o melhor caminho é conversar com ele sobre minhas inseguranças. Mas eu não tô afim de conversar mesmo... Ele tá tão animado com isso e eu não queria deixar ele receoso ou triste
submitted by marii7261 to desabafos [link] [comments]


O Amor que nasceu no passado, é presente, e será Eterno ... O Amor No Passado, Presente, e Futuro... Teorias do branqueamento no passado e no presente - YouTube MCK - Passado, Presente e Futuro - YouTube Passado, Presente e Futuro no Amor! O passado, o presente e o futuro não existem - YouTube Verbos no presente, passado e futuro - YouTube VAMOS VIVER NO PRESENTE E, NÃO, NO PASSADO! Cidadania no passado e no presente - YouTube

Conjugação do Verbo Namorar - Conjugação de Verbos

  1. O Amor que nasceu no passado, é presente, e será Eterno ...
  2. O Amor No Passado, Presente, e Futuro...
  3. Teorias do branqueamento no passado e no presente - YouTube
  4. MCK - Passado, Presente e Futuro - YouTube
  5. Passado, Presente e Futuro no Amor!
  6. O passado, o presente e o futuro não existem - YouTube
  7. Verbos no presente, passado e futuro - YouTube
  8. VAMOS VIVER NO PRESENTE E, NÃO, NO PASSADO!
  9. Cidadania no passado e no presente - YouTube

Artista: MCK Música: Passado, Presente e Futuro Álbum: Trincheira de Ideias Ano: 2002 Trazer o passado para o presente não nos ajuda na caminhada ao futuro! --- Meu 6o. vlog em português. Publicarei outros em breve. Nesta videoaula, apresentamos exemplos de verbos no presente, passado e futuro do modo indicativo. É certo que o branqueamento não é mais uma teoria oficial no Brasil, mas até hoje convivemos com situações que remetem à tal ideia. Site: http://www.liliasch... Louvores e Adoração - 60 Hinos Que Trazem Paz No Lar - Melhores Músicas Gospel 2020 GOSPEL GENERAL 2,933 watching Live now Presente, Passado e Futuro - Duration: 13:32. 💖 Passado, Presente e Futuro no Amor! 💖 Ciganos de Capela. Loading... Unsubscribe from Ciganos de Capela? Cancel Unsubscribe. Working... Subscribe Subscribed Unsubscribe 131K. ... Musica: Somewhere in Time - Piano: MaKsim. Musica Tema do Filme: Em algum lugar no Passado. dedicated to Denise Thirion Enjoy the videos and music you love, upload original content, and share it all with friends, family, and the world on YouTube. será que realmente podemos volta no tempo? De todos os enigmas do universo, esse com certeza é o mais complicado. O passado, o presente e o futuro não existe...